This is me...


Tumblr_le5d2acudt1qe5zzvo1_500_large
Nestes tempos difíceis,  cada vez tenho menos coragem para me queixar... Isto a propósito de uma ida ao dentista. Parece parvoíce, eu sei, mas hoje, enquanto estava na cadeira de boca aberta, só conseguia pensar "Não te queixes, Sofia. Olha a sorte que tu tens por poderes tratar da tua saúde oral).
É verdade, em Portugal, no século XXI há tanta gente que não pode tratar do seu sorriso...
Eu sei que isto é muito português,ver sempre que há alguém que está pior do que nós. Mas eu prefiro assim, estar atenta aos outros e a quem tem menos do que eu. 
A verdade é que eu não me suportaria se passasse a minha vida a queixar-me porque recebo  menos X%, ou porque o meu colega Y ganha duas vezes mais... Talvez seja resignação, não sei, mas quando vejo famílias que lutam por poder pagar uma visita de estudo ao filho, não me consigo queixar por não poder ir de férias para a Polinésia Francesa.
Mas isso sou eu. E não tinha piada nenhuma se pensássemos todos da mesma maneira.

12 comentários :

  1. Olá Sofia. Hoje vim aqui parar e adorei o teu blog :) (posso tratar-te por tu, não posso?) Como não acredito em coincidências é engraçado que hoje marquei uma consulta para o dentista e pensei o mesmo que tu. Nos dias que correm como é bom poder ir ao médico. Eu por acaso beneficio do seguro de saúde por parte da minha mãe e só posso agradecer :) beijinho e continua *

    ResponderEliminar
  2. Acho que tens razão, aliás, dou por mim a pensar muitas vezes assim.
    Pena existirem tantas desigualdades, que nem todos possamos ter o básico.

    bj

    ResponderEliminar
  3. Eu também penso assim. Aliás, irrita-me profundamente gente queixosa! Só o facto de estarmos, neste momento, de rabinho alapado, com um computador com ligação à Internet à frente e sabermos escrever já são muitos privilégios juntos, aos quais a maioria da humanidade, infelizmente, não tem acesso...
    Bjsss,
    Madalena

    ResponderEliminar
  4. Infelizmente é bem verdade. Tem muita gente por cá e não só que luta diariamente para ter o básico para sobreviver.

    ResponderEliminar
  5. Eu sou como tu, não quer dizer que em um mau momento não diga uma coisa ou outra mas no geral acho que tenho muito mais sorte que a maioria.

    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  6. Eu concordo em parte. Posso parecer insensível, mas falo com conhecimento de causa - alguns dos "pobres" que para aí andam não sabem definir prioridades. São capazes de não ter € para medicamentos, mas já têm para tabaco e ir a cafés diariamente. Infelizmente há pessoas com esse tipo de mentalidade.

    Claro que também conheço casos de pessoas que vivem com sérias dificuldades e lutam pela vida. E aí, sim... dou graças por ter tudo o que tenho.

    Kiss*

    ResponderEliminar
  7. Eu não poderia pensar mais como tu querida Sofia. Sinto-me grata com o que tenho, seja muito ou pouco, como costumo dizer "Enquanto tiver saúde, dois braços para trabalhar e amor para dar e receber sou feliz". Jamais conseguirei viver alienada da dura e injusta realidade que infelizmente vejo cada vez mais a surgir na vida de pessoas boas....E já agora que falamos de dentistas,acho vergonhoso a falta de assistência a esse nível no SNS às populações e sobretudo às crianças!

    Beijinhos linda

    ResponderEliminar
  8. É verdade, eu às vezes queixo-me de boca cheia! felizmente não me falta nada, apesar de não ter uma vida nada desafogada, aliás passo pelo que todos os jovens passam: insegurança, empregos mal pagos, grande esforço para ter as coisinhas da casa e uns mimos, mas apesar de tudo tenho saúde, a família também está bem, não me falta comida, nem amor :)

    Só lamento que o estado não dê uma ajuda no que toca à ortodôncia...é tudo demasiado caro!

    Bjs

    ResponderEliminar
  9. São formas de estar...se por um lado há pessoas que se queixam e nada fazem, outras disfrutam daquilo que têm e dão graças por o terem :)
    Confesso que sou de extremos, uns dias tanto me queixo como noutros acho que não tenho nenhum motivo para tal...

    ResponderEliminar
  10. Mesmo que vivessemos no tempo das vacas gordas haveria sempre gentinha a queixar-se. É claro que todos nós em algum momento da nossa vida nos queixamos de tudo e mais alguma coisa, porque estamos em dia não, mas se todos fossemos um bocadinho mais conscientes a vida em sociedade não seria tão difícil!

    ResponderEliminar
  11. Sofia, permita-lhe que lhe diga que não é só "Gira aos quarenta". Tem também uma cabeça bem arrumadina.
    ;)

    ResponderEliminar
  12. Temos de dar mais valor ao que temos e parar de nos queixar tanto. A ver se assim mudamos o nosso (dos portgueses) fado.
    Bj**

    ResponderEliminar