Incertezas...

Tumblr_lhyq5gh7px1qdaw6do1_500_large
"There will always be a lie in believe
and an if in life."

Eu sou uma pessoa optimista. Gosto de procurar o lado rosa das coisas, valorizar os bons momentos e detesto andar a queixar-me da minha vidinha. Sou assim, pronto! Se calhar porque desde novinha sempre me desenvencilhei, nunca fui de resmunguices e sempre vi pessoas ao meu lado com vidas bem mais difíceis do que a minha. Os meus pais podiam não ter muito tempo para me dar atenção, mas sempre me deram segurança. E penso que essa segurança também me ajudou a ser como sou hoje.
Mas, hoje, enquanto escrevo este post e olho para os meus petizes, despreocupados, a jogar à bola no jardim, receio...
Por eles, por nós, pelo futuro, pela incerteza... Queria saber o que é melhor para nós. Será que o Governo cai? Será melhor cair? Ou  talvez o PEC  devesse ser aprovado? Não sei as respostas e acho que ninguém as sabe. E é então que esta incerteza toda me assola, me assombra o olhar e não me deixa, hoje, a mim optimista confessa, ver o lado cor-de-rosa da vida.

16 comentários :

  1. Domingues António23 março, 2011

    Partilho contigo ``as mesmas preocupações. O que vai ser dos nossos filhotes?
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Eu tambem sou optimista por natureza mas fico muito preocupada com o nosso futuro, e sinceramente tambem nao sei o que e' melhor cair ou nao.
    beijinhos e esperemos dias melhores

    ResponderEliminar
  3. Acho que nos últimos tempos andamos todos preocupados com isso, é difícil não pensar em como vão ser as coisas...Mas temos de ter esperança que melhores dias virão.

    ResponderEliminar
  4. Sofia,
    Qualquer pessoa minimamente atenta está preocupada com a situação actual deste nosso lindo pais.
    No entanto, há que dar ouvidos a quem há muito tempo tem tentado alertar para esta situação.
    Não tenho medo da mudança e sou apologista de que o que tem que ser, que seja, quanto mais depressa melhor...
    Agora, se temos que fazer sacrificios, que sejamos todos a fazer e não sempre os mesmos.
    Por outro lado, temos que dar incentivos à produção, exportação, turismo, e a tudo que nos sirva para podermos crescer.
    Acho que o E do PEC tem que mudar; em vez de E de estabilidade tem que ser E de Empreendedorismo...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Olá Sofia!
    Apesar de não gostar do Sócrates, se o PEC não passar e ele se demitir, o governo estará 3 meses até ser substituído. Entretanto, as taxas de juro subirão até um limite impossível de pagar e virá o FMI/CE...
    O momento mais próximo que estivemos disto foi em 1890 e levámos 17 anos a endireitar...

    ResponderEliminar
  6. Somos o País do "tetra PEC"...
    A embalagem nem é má, mas o conteudo...
    As politicas que os adultos de hoje (nós)estão a assumir, de inconsciente irresponsabilidade, a vender a dívida pública a juros que não lembram ao diabo, comprometerão seriamente o futuro dos nossos filhos. Eles é que vão pagar a factura!

    ResponderEliminar
  7. Pois, só depois é que saberemos! Eu estou muito preocupada com tudo isto, principalmente porque tenho 2 filhas e temo que o futuro não seja muito bom em Portugal. Equaciona-se a saída do país...
    Bjinho

    ResponderEliminar
  8. Também sou optimista, Sofia, ou melhor, realista: amanhã é sempre outro dia, e novas soluções e oportunidades surgem. Quanto à queda do governo, tal não implica necessariamente uma mudança. Será preciso que outro partido ganhe e só aí entra o FMI, o que seria, de facto, terrível. Ainda há pouco aconteceu na Irlanda e resultou, entre outras coisas, em despedimentos em massa na função pública, ou seja, nada bom.
    Bjsss e confiemos, que nada está perdido!
    Madalena

    ResponderEliminar
  9. Percebo-te bem... Também me preocupa o mesmo... :-(

    ResponderEliminar
  10. Partilho da tua preocupação... neste momento, pelas notícias que vemos, dá para perceber que o país está pior que nunca, que estamos à beira de mais desemprego, mais pobreza...

    ResponderEliminar
  11. Sofia, a mim preocupa-me exactamente o meso: o futuro do meu filho.
    Bj**

    ResponderEliminar
  12. Partilho da tua preocupação e incerteza. Também tento ser optimista, mas não está fácil. Perante uma situação adversa costumo pensar que, se já tivermos chegado ao fundo do poço, só podemos começar a subir; mas, por estes tempos, receio que possamos ficar encalhados no fundo do poço e demorar a sair... No limite, temos que pensar: um dia (não se sabe quando) vai melhorar!

    bjo

    ResponderEliminar
  13. Pois, sou mais uma preocupada com tudo isto, não quero acreditar que possa piorar, porque piorar a realidade de agora será...possível?

    ResponderEliminar
  14. Julgo que não és só tu. Revejo-me precisamente no teu discurso, especialmente olhando para o bebé que trago na barriga.

    ResponderEliminar
  15. Eu diria que a palavra optimismo não entra no meu dicionário actualmente quando penso em politica e no actual cenário do país.

    ResponderEliminar
  16. Eu estou solidária no que toca à preocupação do estado do país. A verdade é que toda a minha vida vi um país em crise, famílias em crise e antigamente não tínhamos o que temos hoje. Os nossos pais educaram-nos com pouco e os nossos pais foram educados com muito, muito menos do que temos agora. É um exagero e devido a esse exagero assiste-se actualmente a uma crise política e acima de tudo a uma crise social muito grave (no meu ponto de vista). Vamos viver um dia de cada vez com esperança num amanhã muito, mas muito melhor. Também só nos resta isso...

    ResponderEliminar