O outro lado

Tumblr_lkmwehd9oo1qc144qo1_500_large

Há uns tempos, partilhei aqui que tinha perdido dois bebés. Mas, a verdade, é que acho que esse facto fez de mim uma pessoa muito melhor. Eu explico.
A minha vida sempre tinha corrido como planeara. Universidade. Quadro de escola aos vinte e quatro anos ( perto de casa). Casa nova construída como planeado. Casamento. E um ano depois grávida do primeiro filho. Parecia tudo tão fácil e cor-de-rosa.
Depois perder o bebé. E descobrir que afinal eu era falível. E ver que o meu corpo não era perfeito como eu julgara. E ver que os planos nem sempre se concretizam. 
Mais tarde, engravidei de novo. E passar a gravidez quase toda na caminha, a ver o Sic 10 horas e a verificar de minuto a minuto se não estaria a perder sangue. E pré-eclampsia. E uma ansiedade enorme ao pegar no meu menino e a recear não ser tão boa mãe como julgara.
Mais tarde, nova gravidez...e novo parto, desta vez de um bebé que morreu dentro de mim. E eu temer não conseguir ser mãe de novo. E afinal ser capaz, mesmo se tendo de ficar bem quietinha outra vez.
Sim, eu sei que o que sofri não é nada, comparado ao de muitas mulheres... Mas não era aí que eu queria chegar.
O que eu vos queria dizer é que eu descobri que não sou dona e senhora dos planos que faço para a minha vida. Que às vezes é preciso abrandar, para respirar, estar mais atenta aos outros e agradecer o que a vida nos dá.

E sei sobretudo que hoje sou uma pessoa muito melhor e gosto muito mais de quem eu sou hoje, do que a mulher que eu era há doze anos atrás.

21 comentários :

  1. Querida Sofia, és mesmo muito especial. Não é qualquer uma que aproveita as adversidades da vida para se construir, mas tu foste capaz disso, sem te lamentares!!! Acho isso fantástico!!!
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  2. Minha querida Sofia,
    Fico muito feliz pela força tens e pela excelente mãe e mulher que és.

    Só fico triste porque ao ler isto, é inevitável lembrar-me da "minha" Sofia, que nasceu de 37 semanas mas...sem vida.

    Deixo aqui, no teu espaço, se me permites, um grande beijinho a todas as Mães que não conseguiram ultrapassar a sua perda.

    Um xi-coração muito apertadinho para ti.

    **

    ResponderEliminar
  3. Felizmente és uma lutadora e continuaste a tentar. Não sei se tivesse de passar por tudo isso se teria a mesma força!
    Uma amiga minha estava grávida de oito meses quando descobriram que o bebé tinha morrido. Fizeram-lhe um parto normal... Não sei como se supera tal dor e trauma. Às vezes gostava de confortá-la mais, mas nem sei o que dizer numa situação tão dramática. Não faço ideia se ela pretende voltar a engravidar, mas eu, no lugar dela, acho que não tinha coragem.
    Parabéns Sofia, não tenho a mínima dúvida de que és uma grande mãe!

    ResponderEliminar
  4. E isso é característica dos fortes, engrandecerem-se através das vicissitudes. Grande beijinho *

    ResponderEliminar
  5. És especial. Tens uma aura linda. Tens o dom raro de ver o bem no que está mal. Obrigada pela lição de vida.

    ResponderEliminar
  6. Fiquei emocionada a ler este texto! É uma grande lição de vida...

    ResponderEliminar
  7. Parabéns Sofia pela pessoa que és! A vida por vezes consegue ser muita dura connosco mas é isso que nos torna mais fortes e muito, mas muito melhores.
    Adorei conhecer-te (foi um enorme privilégio) e adoro o que escreves!
    Beijinho mt grd

    ResponderEliminar
  8. Obrigada por partilhares os teus sentimentos.
    Sem duvida alguma que és uma pessoa forte e brilhante e que nessa fase da tua vida foste capaz de dar a volta e conseguir ultrapassar.

    Estou seguindo o teu blog e adoro o que escreves.

    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Admiro muito as mães que passam por estas situações, nem imagino a dor e o sofrimento por que passam...no teu caso foste, como são outras mães, uma lutadora, e tiveste as tuas 2 bênçãos :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Lindo! A vida ensina-nos tanto!!!

    ResponderEliminar
  11. Querida Sofia, e sobretudo és extremamente lúcida e carinhosa. Um abraço.

    ResponderEliminar
  12. É uma dura realidade, sem duvida.
    O segredo é conseguir "ultrapassar" e "dar a volta por cima" na verdade não somos nada, não mandamos em nada e não decidimos nada, a opção é querer ~memso e não desistir

    Parabéns por essa força

    ResponderEliminar
  13. Consegues sem dúvida ver o copo meio cheio :)

    ResponderEliminar
  14. Querida Sofia...não duvides disso, és sim uma pessoa melhor sabes porquê? porque a vida ensinou-te a dar mais valor às pequenas coisas, é como se tivesses sido vacinada contra a dor, porque com a perda de um filho qualquer dor é suportável e qualquer raio de sol é Lindo!!!
    És muito especial sim...pelo menos para mim...

    ResponderEliminar
  15. Nunca duvidei que fosses uma mulher cheia de força. Apesar das grandes perdas que sofreste és hoje mãe de dois rapazes cheios de saúde, que te mimam muito:) Estou cada vez mais consciente que somos muito fracos perante certas coisas, mas isso não nos impede de lutar sempre pelo que queremos. bj minha querida:)

    ResponderEliminar
  16. O que não nos mata, torna-nos mais fortes!!A Natureza fez-nos ser os seres mais fortes emocionalmente capazes de dar mais do que receber...todas nós já passamos por alguma situação dificil e sabemos que um dia também a vida vai sorrir para nós com uma dádiva...esse dia chegou...bjs

    ResponderEliminar
  17. E isto faz de ti tão especial, o facto de assumires as adversidades da vida como uma aprendizagem. És uma mulher de coragem, forte e determinada. E o mais importante é saber dar valor ao que a vida nos dá, e isso, admito que muitas vezes me esqueço de o fazer, não tanto desde que tive o meu filho, mas devia ser mais grata.
    bj**

    ResponderEliminar
  18. Nós fazemos planos de vida, mas eu acho que às vezes a Vida tem planos melhores. A Vida já me pregou algumas rasteiras, já me desviou de caminhos que eu achava que queria, já me estampou na cara a minha mortalidade. Mas estou aqui. Mais forte e mais feliz.

    Mas nem sempre é fácil. Isto de aceitar as coisas que nos acontecem. Aceitar que não controlamos o nosso caminho. Aceitar precisamente que uma coisa má possa vir a ser boa para nós. Mas é preciso... ou então não vivemos nem sobrevivemos.

    Um beijinho a ti e aos teus quatro bebés :)

    ResponderEliminar
  19. Sabes: fiquei sem palavras para colocar aqui. Tenho a sorte, sim, a sorte de ter amigas assim . que de adversidades tão atrozes como estas se reconstróem e se tornam melhores. esse teus filhos que não embalaste nos braços tornam-te melhor mãe, mulher, amiga, mulher
    um grande, grande beijinho

    ResponderEliminar
  20. É essa froma de pensar, de encarar o mundo que faz de ti a mulher maravilhosa que és.

    Beijinhos grandes querida

    ResponderEliminar
  21. Gostei muito de ler o que escreveste. Compreendi melhor a pessoa que és e percebo agora melhor o que escreves. Concordo contigo. Por vezes corre tudo tão bem, que fica-se à espera do que pode correr mal. Concordo que aprendemos e crescemos com as durezas que a vida nos presenteia, mas às vezes não precisavam de ser tão duras, não é?
    Mas temos que viver a vida e continuar.

    bjo

    ResponderEliminar