A (minha) vida como ela é...

Se há uns anos me dissessem que a minha vida ia modificar-se e seguir o percurso que hoje segue, eu imagino-me a sorrir, mas a não acreditar muito no assunto.

Há um ano disseram-me que as coisas se iriam modificar e eu já não sorri.

Hoje sei e sinto que a minha vida mudou mesmo. A minha e a de tantos portugueses.
Por vezes olho para trás e sinto que eu era uma pequena burguesinha habituada a ter uma vida estável, com lugar efetivo numa escola, marido empregado, férias no verão e fins de semana alargados, empregada em casa e  sem necessidade de fazer muitas contas.
Já não é assim.  Os nossos empregos já não são tão estáveis, já não tenho empregada, os fins de semana fora foram diminuindo, o Miguel já não tem tantas atividades como teve o Gonçalo e poupar é verbo recorrente cá por casa...
Se sou menos feliz? Acho que não. Sinto-me sim mais preocupada e insegura.  Mas também me sinto, por estranho que pareça, mais enérgica e sem vontade de desistir.
Há  é algo que me inquieta muito...ver tanta gente à minha volta com enormes dificuldades  e parecer que quem manda neste país está anestesiado, como quando vamos para uma operação e deixamos que os médicos façam o que quiserem com o nosso corpo.

No que me diz respeito, não vou baixar os braços. E como eu gostava que quem tem poderes não os baixasse também...


12 comentários :

  1. Tudo o que não podemos fazer é deixar-nos arrastar para a crise , há que lutar contra ela...e no fundo a felicidade não se mede só com o que se tem!

    ResponderEliminar
  2. Nunca desistir. Nunca desanimar.

    ResponderEliminar
  3. Eu sou mãe de uma familia numerosa. Tenho 4 filhos. Desde que tinha 1 filho até agora com 4 que os nosso ordenados se mantêm...:) fantástico, hã? Mas tal como dizes há que dar a volta por cima, sempre!

    ResponderEliminar
  4. acho que espelhas bem o que se passa nas nossas vidas. contenção virou prioridade, desistir não é opção, mas há dias que a tristeza vence. mas depois vem a noite e um novo dia.
    ***

    ResponderEliminar
  5. Levanta as mãos
    todos de pé
    vamos cabtar
    Passos, olé!!!
    Passos, olé!!!
    Passos, olé!!!

    PS: Cantar alto estilo claque de futebol.

    ResponderEliminar
  6. Enquanto não mudarem a democracia em portugal temos tempos iguais

    ResponderEliminar
  7. Tem toda a razão, o importante é não desistir.Afinal é importante não esquecer que o essencial é invisível aos olhos.

    ResponderEliminar
  8. Li o teu texto em voz alta para o meu marido ouvir, porque este texto retrata na perfeição a nossa vida...Acabei com uma lágrima nos olho...
    Estamos assim, talvez pior que não tenho vencimentos em dia, ainda só recebi 100€ de Agosto, e não sei se o meu emprego sobrevive á insolvencia...se somos menos felizes cá em casa? Não. Acho que mais unidos, dividimos mais as pequenas alegrias. Só peço saúde para todos, e que os nossos empregos apesar de ganharmos pouco se mantenham.Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Portugal está a mudar e ainda bem!
    Quem não deve não teme e o facto é que estava muita gente encostada à arvore das patacas.
    Alguem começou a abanar e a dizer que o rei vai nu...e logo o Portugal aprofundo acorda e tem medo do futuro, porque só quer é passado e direitos adquiridos.

    è preciso que mude ainda mais, obviamente vai haver algumas vitimas, mas até para se ter um filho doí.

    Gaivota Preta

    ResponderEliminar
  10. Passei para visitar e conhecer o seu blog e adorei tudo por aqui. Ja seguindo.

    Bjs..
    Quando puder gostaria de te convidar para fazer ums visita elegante no meu blog.
    http://toquedeelegancia.blogspot.co.uk/

    ResponderEliminar
  11. Tens sempre umas perspectivas muito maternais. Já sabes... gosto mesmo muito de te ler :)

    ResponderEliminar