Sr. Anónimo, com todo o respeito...

Anónimo deixou um novo comentário na sua mensagem "Água salgada-parte II": 

Este dia é de trabalho? de férias? de greve? É que nem a semana de 35h costuma dar para manhãs na praia. Enfim!!! Os professores, coitados, fartam-se de trabalhar, não é? 



Pois...a verdade é que eu já estava à espera de um comentário do género. E é verdade,a grande maioria dos professores farta-se de trabalhar. Eu incluo-me nessa maioria.

Ontem, a manhã foi passada na praia porque nos levantámos cedinho e as reuniões foram da parte da tarde. Preferi passar a manhã na praia com os meus meninos e fazer os relatórios que me competem fazer até às 2 da manhã. São escolhas.

Mas o Sr. Anónimo não deixa de ter razão. Eu tenho muita sorte por ter emprego neste Portugal à beira-mágoa plantado. E quem me dera que assim não fosse...

13 comentários :

  1. Esses comentário de quem ignora por completo o que é o trabalho de um professor, deixam-me fora de mim. Por estes dias temos sido especialmente atacados por muito boa gente que também quer ter, o que julgam ser, a benesse das 35 horas. No meu caso, preferia a benesse das 40 horas...e nem mais um minuto. Nem mais um minuto de trabalho à noite, nem mais um minuto de trabalho ao fim-de-semana, nem mais um minuto roubado à minha vida familiar. Um desses anónimos podia trocar comigo durante uma semana...e nem precisava de ter o horário completo: atribuía-lhe apenas duas belíssimas turmas CEF que tive este ano. Só queria ver quanto tempo é que iria sobreviver à BOA VIDA de um professor!!!

    ResponderEliminar
  2. O que as pessoas gostam é de provocar para que os visados caiam na tentação de responder dando justificações e detalhes da sua vida pessoal. Não entres por aí Sofia, não deves nada aninguém. Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Pois cá está um comentário que me faz ferver e ser incapaz de calar! Pois se ser professor é tão bom, se todos tem tempo para tudo, porque SÓ trabalham 35 NA ESCOLA, por que motivo o Sr. Anónimo (tão cobardezinho que nem assina)não vai tirar um curseco (pós-Bolonha, como convém)e não concorre, já que a vida de professor é tão boa? É pôr mãos à obra!
    A não anónima
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não Anónima?...
      Quantas Marias há na terra?...
      http://www.youtube.com/watch?v=NgUPRDIwu1U

      Já agora, Eu também sou Maria. Embora nao vá com as outras...

      Eliminar
  4. Enviei-lhe o comentário como anónima por lapso, sou Maria Sousa, a mãe que comentou negativamente a sua adesão à greve (comentário que não vi tivesse sido publicado).
    Repare que, enquanto funcionária pública, tem o enorme privilégio, pago por todos os contribuintes, de poder ir com os seus filhos à praia ao dia de semana). Eu, trabalho no privado, por isso não tenho possibilidade de ir à praia com os meus filhos 1 manhã, NUNCA (salvo nos 22 dias úteis de férias, ainda que também trabalhe até às 2 da manhã).
    Como é que uma classe com tantos privilégios pode fazer greve? Ou acha que não vale dinheiro essa possibilidade? Os meus filhos vão, desde o 1.º dia de férias para uma colónia, PAGA POR MIM. Por tudo isso, pense em todas as coisas boas que como FP tem, e não seja dessas pessoas azedas e mal com a vida que são os grevistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Maria Sousa,
      Caso não saiba quem faz greve não recebe o respectivo salário, logo o seu comentário sobre o privilégio pago pelo contribuintes de ir à praia numa manhã é, no mínimo, despropositado.
      vidademulheraos40.blogspot.com.

      Eliminar
    2. Cara Paula,
      o meu comentário seria despropositado se a ida à praia tivesse ocorrido no dia de greve, o que não sucedeu. Foi num dia normal de trabalho pago.
      Maria Sousa

      Eliminar
    3. Maria, que eu saiba eu não pago à Sofia o privilégio de ela ir à praia...mas adiante.

      Já li e reli trinta vezes aquele post da Sofia que causou à Maria tanta pirose (pirose é azia, caso não esteja ciente de certos termos médicos) na esperança de tentar perceber a origem da mesma. Não consigo. Não existe nada, nadinha, naquele post que indique que a Sofia é mal agradecida por ser funcionária pública. Ela apenas diz que dispensava a parte de ter de ir trabalhar à tarde. Caramba...se o meu dia começasse pela manhã, com os meus filhos e um sol estrondoso na praia, também não me iria apetecer nada ir trabalhar à tarde. Por muito amor que tenhamos a uma profissão e por muito bons que sejamos no que fazemos, vamos sempre ter mais amor à família e ao lazer - ou não?

      Por isso, a única explicação que encontro é esta: a Maria tem inveja da Sofia porque não tem a sorte de ser funcionária pública e, em vez de aceitar e entender o facto de que todos temos vidas diferentes e que ninguém deve satisfações a ninguém pela forma como escolhe ocupar as suas horas livres, a Maria prefere vir para aqui lançar postas de pescada daquelas que fedem a pirose.

      Eu se fosse a si consultava um gastroenterologista.

      Eliminar
  5. Olha eu cheguei a uma simples conclusão: há pessoas que simplesmente gostam de contrariar e criticar pelo simples acto de criticar e deitar abaixo, sem pensarem propriamente nas estupidezes que estão a escrever.

    ResponderEliminar
  6. Fui ver o post, estavas muito bem na foto.

    Boas férias. Bom verão. ;)

    ResponderEliminar
  7. Se a Maria Sousa trabalha no privado, como diz, não é professora e portanto não tem que corrigir testes e fichas e exames, nem preparara aulas, nem fazer avaliações de alunos, que raio de trabalho faz até às 2 horas da manhã, em casa?É claro que não estou a falar de trabalho das lides de casa, pois esse todas nós temos que fazer.Bom, realmente há trabalho que se faz pela noite dentro, mas ou trabalho no privado, em casa (e assim sendo não aproveita convenientemente o dia para o realizar ou não vejo que tipo de trabalho leva de qualquer empresa para fazer em casa até às 2 da manhã (só se também na empresa passa mais tempo na amena cavaqueira com os colegas e gasta muito tempo nos cafezinhos do meio da manhã e da tarde. Privilégios de quem não anda ao toque de 45 em 45m). Quanto à greve não tem de estar a favor ou contra. É um direito consagrado na Constituição da República Portuguesa e quem quer usufruir dele estar no seu legítimo direito. Felizmente a ditadura já acabou há anos e a Pide já não existe (mas que alguns teriam um certo jeito para essa profissão, lá isso tinham...)

    ResponderEliminar
  8. Esqueci-me de acrescentar que, hoje sábado, enquanto a MS deve estar na bela da praia com os seus rebentos (até está calor e tudo) eu estou desde as 8.45h da manhã a corrigir exames.E amanhã, domingo, será um novo dia, assim como todos os anteriores o foram, desde 3ª feira.Já alguma vez o fez? Não, pois não! Posso garantir-lhe que é "uma atividade ótima e relaxante" que recomendo a toda a gente trabalhadora como a senhora. Depois comente. Até lá não fale do que não sabe!

    ResponderEliminar
  9. A inveja é uma coisa muito feia.
    Os sr. anónimos que fazem comentários maldosos sobre realidades que não conhecem, nem imaginam o que vai na vida das pessoas.
    Ainda ontem partilhei conversas à beira mar com uma professora que me dizia o mesmo, pela sua sanidade mental prefere apanhar um pouco de sol para carregar baterias para os exames e relatórios que tem de fazer, e escolhe-os fazer pela noite dentro.
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar