Festejar a vida...


O meu Tio Artur (que é também meu padrinho e que eu adoro) não gostava de festas de anos. Em pequenino não havia vida para festas e, já adulto, talvez pela dor de ter perdido um filho, nunca fez festas de aniversário.
Este ano, a minha prima decidiu fazer-lhe a festa que ele nunca tinha tido. A família reuniu-se num local bonito e, sem ele sequer desconfiar, gritou "surpresa".

Foi lindo. 

No final da festa, quando agradeceu, deixou a mensagem: "No próximo ano, quero-vos ver aqui outra vez!"
As prendas que recebeu foram poemas, histórias, vídeos...Eu deixo aqui um bocadinho do texto que li.

Família...onde tudo começa...

Com choros
Com birras
Com palavras que nos arrependemos de dizer
Com mal-entendidos
Com separações
Com afastamentos

Família...onde tudo acaba...
Com abraços apertados
Com carinho
Com o "nós podemos dizer mal, mas que mais ninguém diga"
Com o estar presente sempre que é preciso
Com mimo
Com amor
Com união

Nós somos uma grande família
Imperfeita, barulhenta, mas VERDADEIRA!






1 comentário :