Passeio em família- Foz Coa

As memórias dos momentos felizes ajudam a suportar as saudades... 

Foz Coa revelou-se uma escolha acertadíssima. Aproveitámos o facto de ficar a caminho para visitarmos as gravuras rupestres. Antecipadamente, marcámos a visita guiada (965 778 799)   e optámos pela Canada do Inferno. Fomos até lá de jipe e com um guia que nos explicou tudo direitinho e que foi uma ajuda preciosa para identificarmos as gravuras. A vista no vale  também é maravilhosa e de uma paz inspiradora.
 Para quem tem crianças, aconselho a optar pelo horário mais cedinho para não estar tanto calor e a levar o indispensável chapéu e água (e eu  também não esqueci o protetor solar).

Após a visita às gravuras, fomos explorar o Museu que também vale muito a pena. E, para os quatro, ficou tudo em 31 Euros ( o que comparado com outras visitas a determinados parques, até é um preço bastante justo). Se quiserem saber mais é só clicar aqui.

Depois da flor, o fruto...


O rosmaninho (obrigada por me terem dito) mais bonito que vi!



Canada do Inferno


Para abrir o apetite...

E o rio a acompanhar-nos...



O espaço envolvente do Museu é lindo...


Museu...


Museu...


Das paisagens mais relaxantes que já vi...

Nós e o fotógrafo...


Saudades...



14 comentários :

  1. Como eu conheço estas paisagem. Ficou cheia de orgulho quando sei que as pessoas visitam a minha terra e ficam contentes.

    ResponderEliminar
  2. A paisagem é de tirar o fôlego!
    As fotos estão maravilhosas, com uma luz imensa.
    Não é todos os dias que se pode contemplar algo de tão belo.
    Beijinhos,
    Paula
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  3. Sofia,
    Como eu adoro as Vossas Fotos, mas a última é a que me deixa mais Feliz*

    MR<3
    Blog Saga da Emigração

    ResponderEliminar
  4. É rosmaninho e não alecrim, Sofia.
    Bjo
    Ana Bela

    ResponderEliminar
  5. Querida Sofia, parece-me rosmaninho e não alecrim. Mas que é lindo é. Deixo-lhe um beijinho e desejo-lhe o melhor para si e para os seus. Aprecio muito o seu blog; simples e verdadeiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Vou corrigir...sempre fiz confusão.
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Deixei-te um desafio no meu blogue ;)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Olá Sofia, na minha aldeia a essa planta chamam de tomilho, e ao que se deita na comida tomilhinha, é assim que eu as conheço, o alecrim tem a flor mais fininha.

    Adorei as fotos, que belo passeio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      Aqui já falaram em rosmaninho...mas alecrim é que não é (como eu inicialmente escrevi).
      Obrigada.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Sem dúvida, rosmaninho.

      (…)
      E cada hora a mais que gasta no caminho
      É um sorvo a mais de cheiro
      A terra e a rosmaninho!
      Miguel Torga

      Eliminar
  8. Um relato bonito, carinhoso e muito bem ilustrado. Queremos e cremos que não tardará em voltar.
    Bem-haja, Sofia Francisco

    ResponderEliminar
  9. Conheço bem a zona mas ainda não tive a oportunidade de visitar o Museu. Agora fiquei ainda com mais vontade.:)

    ResponderEliminar