A (minha)vida como ela é...


Mesmo que eu não queira, por vezes tenho tendência para, em certos momentos, me sentir coitadinha. Quero com isto dizer que sinto que a vida me poderia correr melhor e que a grande volta que a minha vida deu nos últimos anos poderia ter sido mais suave. Resumindo: sinto cada vez mais a falta do meu pai, sofro antecipadamente com medo de perder a minha mãe, anseio por ter a minha família junta fisicamente outra vez...

Mas, quando olho com mais atenção à minha volta, tenho até uma espécie de vergonha de, por vezes, me sentir assim. Há pessoas que têm/tiveram vidas tão difíceis que é quase um ultraje eu não agradecer o tanto que eu tenho...E essas pessoas estão perto de mim e têm nome. Não são apenas as pessoas que estão no noticiário e nos jornais, são crianças e adultos que estão pertinho...e a quem eu não posso oferecer nada mais que não o meu sorriso...

Aproximo-me dos quarenta e cinco e tenho já  a minha resolução tomada: deixar de viver em suspenso, aproveitar cada minuto e agradecer sempre. *

*E vou imprimir a foto de cima (tirada em Angola) e colocá-la em local visível...Just in case.

3 comentários :

  1. Sou da mesma opinião Sofia. Aproveitar todos os momentos da nossa Vida. :)

    ResponderEliminar
  2. Adorooooo a foto!❤️
    Beijinho��
    MR❤️
    Blog Saga da Emigração

    ResponderEliminar
  3. Sem dúvida que mesmo à nossa porta, ao nosso lado, e por aí a fora, haverão pessoas com vidas bem difíceis.
    Mas quanto à foto, não podemos de todo afirmar que aquelas pessoas terão vidas difíceis. A felicidade é um conceito muito subjectivo. As necessidades e ambições de cada um, são muito próprias.
    Recordo a minha por S. Tomé e Príncipe, onde vi a felicidade na doçura dos olhares das crianças.
    http://ogarctico.blogspot.pt/2006/05/s-tom-e-principe.html

    Com um ramo de :-) (sorrisos)

    ResponderEliminar