Angola...a aprender a ser (mais) feliz!


 O Padre Rogério, angolano de olhar doce, tem estado na paróquia  a que pertencemos e, por uma feliz coincidência, hoje estava em Sumbe e convidou-nos para conhecer a família dele. Assim fizemos. Depois de uma missa lindíssima, em que os cânticos e alegria foram uma constante, seguiu-se um almoço com comida típica angolana (funge, galinha, cabrito...) em casa de familiares do Padre Rogério.

Quando regressávamos a casa, o Luís disse-me que eu ia ter muito que escrever no blogue e eu respondi-lhe que dificilmente iria conseguir...Há emoções que não consigo passar... Deixo-vos as fotos e vinte segundos de um dos momentos da Missa (Ação de Graças)... E quem me dera saber agradecer assim!

Um dos momentos que (também) não esquecerei foi quando eu, no almoço, me desculpei por não ter levado nada pois não estava a contar. A resposta que recebi arrepiou-me,pois  com uma voz profunda e sincera, o pai do Padre Rogério olhou-me e disse: " Ter-vos connosco é a maior alegria que recebemos".

Um dia cheio, enorme, que vem  provar o que eu já sabia: para conhecer o encanto do povo angolano, tenho mesmo de sair do condomínio.







5 comentários :

  1. Adoro o seu blog, Sofia. Passo por aqui quase diariamente, embora raramente comente. Mas hoje, não pude deixar de me emocionar com o que escreveu, com as fotos, com o bonito trecho da missa tão vivida, com as emoções que partilhou. Não há dúvida que às vezes são os que menos têm que nos ensinam a partilhar e a agradecer.
    Não sei se conhece o livro "A Cidade da Alegria" de Dominique Lapierre (co-autor entre outras, da obra "Paris já está a arder?"): em Calcutá, numa comunidade existente numa das zonas mais pobres do Mundo (onde viveu Madre Teresa), o autor encontrou mais amor, mais união e mais caridade do que nas cidades mais ricas do Ocidente...
    Às vezes, ter muito impede-nos de ser.
    Um bem-haja pela sua partilha, Sofia.
    Milena

    ResponderEliminar
  2. Adoro o seu blog, Sofia. Passo por aqui quase diariamente, embora raramente comente. Mas hoje, não pude deixar de me emocionar com o que escreveu, com as fotos, com o bonito trecho da missa tão vivida, com as emoções que partilhou. Não há dúvida que às vezes são os que menos têm que nos ensinam a partilhar e a agradecer.
    Não sei se conhece o livro "A Cidade da Alegria" de Dominique Lapierre (co-autor entre outras, da obra "Paris já está a arder?"): em Calcutá, numa comunidade existente numa das zonas mais pobres do Mundo (onde viveu Madre Teresa), o autor encontrou mais amor, mais união e mais caridade do que nas cidades mais ricas do Ocidente...
    Às vezes, ter muito impede-nos de ser.
    Um bem-haja pela sua partilha, Sofia.
    Milena

    ResponderEliminar
  3. Amei esta partilha de experiência, tenho a certeza que já não tens duvidas quanto à riqueza que estás a dar aos teus filhos, vai fazer deles homens "ainda" melhores. Aprende umas receitas para nos dares a conhecer este teu novo mundo no teu regresso... Conto com um jantar!

    ResponderEliminar
  4. Gosto tantoooo do seu Sorriso Sofia! Não me canso de passar por cá! :)

    Ser Feliz aqui é fácil, pois a Felicidade está nas mais pequenas coisas, onde aliás, em qualquer lugar do Mundo deveríamos dar o devido valor. Mas aqui, somos contagiados pela simplicidade que por vezes em PT até é mal vista! Não me sei explicar muito bem, mas espero que a Sofia me compreenda!
    MR<3
    Blog Saga da Emigração

    ResponderEliminar
  5. Que fotografias maravilhosas Sofia!
    Que experiência fantástica.
    Um grande beijo

    ResponderEliminar