Angola...e os vossos filhos vão convosco?

foto de hoje

Não vou negar, um dos meus maiores receios aqui em Angola é que algum dos meus meninos precise de ir ao médico rapidamente. O ano passado correu muito bem, mas de vez em quando pergunto-me se estamos a tomar a atitude certa ao trazer os nossos meninos para este sítio lindo e magnífico, mas que dista a quase quatrocentos quilómetros de Luanda e está a trinta quilómetros do Hospital mais próximo (e que penso que não tem muito a ver com o que estamos habituados).
É claro que há  dias em que nada disso me passa pela cabeça, mas há outros, como os de hoje, em que fico um bocadinho à toa. Hoje, o Miguel acordou com dor de cabeça e muito enjoado. Mil e um cenários me passaram logo pela cabeça, mas como o Luís estava a trabalhar e eu não o queria incomodar, tive mesmo que respirar bem fundo, acalmar os nervos e agir. Dei-lhe paracetamol (Brufen ou outros anti-inflamatórios são de evitar pois podem mascarar sintomas), um chupa-chupa e fui intercalando com  golinhos de coca-cola. 
Perto da hora de almoço já estava fino e já comeu uma sopa bem saborosa (em Angola a sopa é uma boa amiga pois os legumes são bem fervidos) e agora até já foi jogar futebol.

A verdade é que se tem de ponderar bem... Contudo há o outro lado (há sempre não é?) Quando vejo a naturalidade com que os meus meninos andam por aqui e conversam com as pessoas que encontram, fico de boca aberta. A sério. Sorriem para toda a gente, porque sabem que recebem sorrisos ainda maiores, ficam maravilhados por esta Angola longe de tudo, por esta imensidão... Quando vamos à cidade, nem se apercebem dos olhares que sobre eles recaem ( é que por aqui não estão muito habituados a ver crianças brancas, parece-me...), espantam-se com os preços tão caros do supermercado, engolem em seco ao ver o pouco que muitos meninos da idade deles têm...

Eu sei que esta experiência, este crescer que Angola lhes proporciona, faz deles crianças melhores, com horizontes mais abertos, com mundo... Eu, já o escrevi por aqui milhentas vezes, sou uma hipocondríaca cheia de medos, mas recuso-me a que eles levem a melhor sobre mim... Por isto tudo, pensamento positivo e quatro palavras me norteiam: Vai Correr Tudo Bem!





3 comentários :

  1. Sinceramente tenho pena de não estar a viver na província! As províncias nada têm a ver com Luanda! Eu sinto que as pessoas me olham de lado, às crianças nem tanto é certo!
    A insegurança é cada vez maior!
    Mas das pessoas que estão nas províncias ouço falar bem o contrário!
    Boa estadia Sofia!
    E de uma coisa tenha a certeza, está Terra tornará os seus filhos muito mais ricos é agradecidos!
    Bis
    MR��
    Blog saga da emigração

    ResponderEliminar
  2. Sou assim como tu, hipocondríaca, e é tramado, mesmo! Por isso ainda te admiro mais estares a superar um medo que é tão chato!

    Beijinho e VAI TUDO CORRER MUITO BEM!

    ResponderEliminar
  3. Olá Sofia,

    Somos da mesma colheita, 70...Também eu, em outrubro, irei trabalhar fora de Portugal e longe da familia pela primeira vez. Irei viver e trabalhar em Luanda Sul e virei a casa a cada 3 meses, pergunto-me a toda a hora como vou conseguir não acordar, cheirar e tocar na minha filha. Desejo que o meu marido consiga encontrar um desafio também em Luanda sul, que nos permita estar juntos, por isso, também repito muitas vezes essas 4 palavras "vai correr tudo bem". Beijinhos e muita luz.

    ResponderEliminar