A minha filosofia barata #1

São Pedro de Moel-outubro 2015

À medida que o tempo passa há duas coisas que tenho vindo a descobrir em mim: gosto de me isolar no meu casulo sempre que ando mais triste e a capacidade de ir buscar alento à coragem que os outros demonstram em situações mais difíceis. Quanto à primeira situação, tenho dúvidas se faço bem, mas quanto à segunda tenho mais certezas. E, mesmo não sabendo se  é o caminho certo, sei que é, para já, o meu caminho...
Hoje é um dia triste aqui por casa porque é dia de despedidas. Mas é um até já. Afinal, como poderei eu sentir-me infeliz se há mães e filhos que se despediram (para sempre) há um ano? Como poderei eu sentir-me miserável se há ao meu lado quem lute pela vida, dolorosamente, e não se queixe? Como poderei eu sentir-me a mais infeliz do mundo se estou rodeada de amor?

Não há vidas cem por cento felizes. Há vidas mais felizes do  que outras, é certo, mas achar que a blogger que aparece sempre sorridente não tem momentos tristes, ou que a modelo com o corpo mais espetacular não tem as suas inseguranças, é um engano. Cabe-nos é a nós valorizar mais os momentos felizes e tentar relativizar os mais penosos. O mais difícil, parece-me a mim, é encontrar a estratégia certa. Eu, para já, encontrei a minha que se pode resumir a isto:
- Não invejar os momentos felizes dos outros, mas ficar feliz por eles;
- Agradecer os meus momentos felizes;
- Compreender os sofrimento dos outros;
- Buscar alento e inspiração na capacidade de enfrentar a vida de tantas pessoas que nos rodeiam (não têm de ser famosas...um tio, o nosso vizinho, uma criança...).

Ok, talvez seja filosofia (ou psicologia) barata, mas é a minha e deixo-a aqui. De graça.

Bom domingo!


7 comentários :

  1. completamente de acordo. Faço sempre o mesmo. Aprende-se imenso a olhar para o lado.

    ResponderEliminar
  2. Para lá de barata: não tem preço. Cada palavra, conselho, é do mais elevado quilate. Parabéns.

    Também eu me revejo e regenero nos meus silêncios: uma quietude que muito me apraz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um grande beijinho e obrigada pelo alento e por estar por aqui.
      Sofia

      Eliminar
  3. Não é barata... é simples, mas difícil. A vida não é leve e não acho que deva ser. Vamos aprendendo, vamos compreendendo que há coisas importantes e outras que não valem a chatice que causam. Olhar os outros, aquilo que nos rodeia, ir mais longe é sem dúvida uma lição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão. beijinhos.
      Sofia

      Eliminar
  4. Aprender e aceitar o que a Vida nos dá. Agradecer por tudo o que temos. Em silêncio ou não, cada um tem o seu método. Ser feliz, a finalidade.
    Beijinhos

    ResponderEliminar