O meu pai vive...

Hoje falava com uma amiga sobre o facto de continuarmos a sentir a presença dos que partem. 
Eu acredito mesmo que o meu pai me continua a acompanhar. Mais, eu sinto-o. Às vezes penso que é por querer tanto, outras vezes penso que são as saudades que apertam e há outras ainda que julgo ser coincidências. Mas, ainda que por vezes surjam (ínfimas) dúvidas, eu sinto a companhia do meu pai comigo. Não é algo físico,mas quase. 
Desde que o meu pai morreu deixei de ter tantos medos, deixei de temer a solidão, sinto-me mais acompanhada quando só.

Eu sei que pode ser estranho, mas é o que sinto. Gostava de o poder explicar melhor, mas não encontro maneira. Só sei que sinto que o meu pai quando partiu não me abandonou e que está cada vez mais vivo no meu coração.

3 comentários :

  1. Não tens que explicar, sabemos que é mesmo assim, Eu sinto a nossa avó Perpétua sempre que tenho uma angustia, sinto-a mesmo junto de mim e tranqulizo-me, melhor não sinto, sei que está lá!

    ResponderEliminar
  2. Porque há coisas que não se explicam. Porque há coisas que não é necessário explicar.
    ... E contudo, assim é. Tão natural como inexplicável.
    A fé, a crença. É isso: acreditar.
    http://ogarctico.blogspot.pt/2007/11/foto-de-autor-desconhecido-dedicado-um.html


    Com um ramo de :-)

    ResponderEliminar
  3. É uma excelente maneira de ver as coisas ;) Bem reconfortante.

    ResponderEliminar