Um post honesto, ou como nem tudo o que parece é...


Nas redes sociais o mundo é sempre mais cor-de-rosa, mas gosto de ser sincera convosco e não vos quero enganar: esta que aqui escreve há quase seis anos, já foi uma pessoa mais animada...
Não pensei bem porque fiquei assim, mas o passar dos anos e as perdas foram-me transformando e não necessariamente numa pessoa que eu goste mais de ser.
Tenho saudades do meu riso despreocupado, de não ser tão ansiosa e de não passar a vida a fazer filmes. Sinto-me a falta de quando enfrentava a vida sempre com um sorriso e pensamento positivo. A verdade é que tenho plena consciência de que ando uma pessoa mais chata e sei que corro sério risco de, ser não fizer nada, me tornar numa pessoa igual à que tantas vezes critiquei ( uma pessoa negativa cheia de medo de viver).

Já pedi ajuda profissional e vou tentar, sem medicação, dar a volta. Socorro-me da força dos que me rodeiam e ando a tentar dar cabo desta ansiedade maluca que me assola e me desanima muitas vezes. Vai ter de ser. A nossa mente é poderosa (se é), mas temos de lhe mostrar quem manda. Eu sei quem sou e quem quero ser e, esta névoa que me atormenta, terá de desaparecer... A seu tempo...


Pensei bastante antes de partilhar este desabafo por aqui, mas não me sentia honesta convosco se não o partilhasse. E depois, serve para mostrar que não há vidas nem pessoas perfeitas. O meu blogue pode ser cor-de-rosa, a vida num blogue pode ser fantástica, mas a vida real tem muitas mais tonalidades do que possa aparentar...

16 comentários :

  1. Eu acho que quando entramos na casa dos quarenta existe uma nostalgia que nos muda a cada dia que passa, temos receio de mudar e sermos mal sucedidos preferimos o estável do que arriscar! Eu própria passei por isso em 2015, tentei mudar de casa mas depois deu-me um medo terrível e não consegui, sofri as consequências e possivelmente ainda as vou sofrer por muito tempo mas simplesmente deixei de ser aquela pessoa que achava que com força de vontade e sem medo de trabalhar tudo se consegue! Mas às vezes isso não basta e com a experiência de vida vamos aprendendo tantas e tantas coisas....
    Gostava mais de mim como era antes mas então a idade vai mudando cada pedaço de nós todos os dias um pouquinho....
    bjs

    ResponderEliminar
  2. Olá Sofia, se tiver curiosidade leia / pesquise sobre mindfulness. Não é uma terapia, mas ensina-nos a ver e a lidar com a realidade de uma forma diferente. Embora eu não seja muito disciplinada, sinto que me tem ajudado imenso. Um feliz ano e coragem :-)

    ResponderEliminar
  3. A vida é isso mesmo. Com várias tonalidades e não necessariamente na faixa dos rosa. Deve fazer o que acha que deve fazer para se sentir melhor. Por vezes a ansiedade combate-se ir divindindo os problemas em problemas mais pequeninos e também ter mais objetivos, ainda que pequeninos, mas fazer mais coisas que lhe proporcionem mais bem estar. É isso que procuro fazer na minha vida. Afinal, não vidas perfeitas! Tudo de bom e mantenha a fé!

    ResponderEliminar
  4. Olá, Sofia,
    Li e gostei... partilho contigo:

    "Na Índia, são ensinadas quatro leis da espiritualidade:

    A primeira diz: A pessoa que vem é a pessoa certa.
    Ninguém entra em nossas vidas por acaso. Todas as pessoas ao nosso redor, interagindo conosco, têm algo para nos fazer aprender e evoluir em cada situação.

    A segunda lei diz: Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido.
    Nada, absolutamente nada do que acontece em nossas vidas poderia ter sido de outra forma. Mesmo o menor detalhe. Não há nenhum “se eu tivesse feito tal coisa…” Ou “aconteceu que um outro..."
    Não. O que aconteceu foi tudo o que deveria ter acontecido, e foi para aprendermos a lição e seguirmos em frente. Todas e cada uma das situações que acontecem em nossas vidas são perfeitas.

    A terceira diz: Toda vez que iniciares algo é o momento certo.
    Tudo começa na hora certa, nem antes, nem depois. Quando estamos prontos para iniciar algo novo em nossas vidas, é que as coisas acontecem.
    E a quarta e última afirma: Quando algo termina, termina.
    Simplesmente assim. Se algo acabou em nossas vidas, é para a nossa evolução. Por isso, é melhor sair, ir em frente e enriquecer-se com a experiência. Não é por acaso que você está lendo este texto agora. Se ele veio à sua vida hoje, é porque estava preparado(a) para entender que nenhum floco de neve cai no lugar errado!"

    ResponderEliminar
  5. É importante primeiro reconheceres os sinais e estares disposta a tudo. Mas desdramatiza e desvaloriza: a imagem dos outros também é muitas vezes só isso, imagem. Comparar sem saber todos os dados nunca foi boa política. ;) Sente-te bem contigo, ponto. Sem ansiedades. :)

    ResponderEliminar
  6. A vida não é sempre cor de rosa, mas sim pintalgada de muitos tons. Há dias difíceis, dias maus e reconhecer que a nossa capacidade para os enfrentar não é a melhor é o primeiro passo. Se preciso for, recorrer a ajuda não é um bicho de sete cabeças. Muita força e desliga o complicador, muitas vezes o verdadeiro causador das nossas tristezas. :)

    ResponderEliminar
  7. Como disse Renato Russo:
    "O mundo não é perfeito
    e nem todas as pessoas são felizes.
    É quase impossível esquecer
    menor abandonado, a nossa dívida, o racismo, as guerras...
    mas, graças a Deus,
    existe sempre a música".
    http://yellowmcgregor-palavras-silencios.blogspot.pt/2014/02/so-hoje.html


    Quanto à "névoa" desaparecer... poderá ser difícil, poderá mesmo não acontecer. Na verdade, essa luta, porque faz parte da vida moderna, é uma longa maratona mas com o (teu) estofo de campeã saberás mantê-la à distância necessária... para que não te "atormente". Força!

    ResponderEliminar
  8. Sofia,
    Deu o primeiro é grande passo, pedir ajuda profissional. A verdade é que existem vários factores que nos desanimam e nos transformam.! É a Sofia tem sofrido com várias perdas e ausências.
    Compreendo as suas palavras...!
    Um beijinho no seu coracao💗
    MR💗
    @sagadaemigracao

    ResponderEliminar
  9. Amo-te muito e estou aqui para te ouvir e partilhar as tuas tristezas também, o teu riso vai voltar tenho a certeza. Estou mesmo aqui!!!!

    ResponderEliminar
  10. Encontrei hoje o blog. Deixo apenas uma mensagem: o mais importante, é, reconhecer que não estamos no nosso melhor e, tomar a acção para voltarmos a ser nós mesmos. Tem tudo para rapidamente ultrapassar este período. Bora lá!

    ResponderEliminar
  11. Beijinho doce - tudo vai correr bem.

    ResponderEliminar
  12. Olá Sofia, já sigo o blogue há algum tempo e gosto muito. Por ser genuíno, simples, pela maneira de escrever o que se passa consigo ou família. A vida realmente nem sempre é cor-de-rosa e percebo as suas ausências aqui no blog mas parece-me uma mulher cheia de fibra e coragem. Força e um beijinho

    ResponderEliminar
  13. Olá Sofia! Já visito o seu blog há bastante tempo mas não sei se algum dia comentei...gosto muito da forma como escreve e sigo religiosamente os posts sobre Angola! sei que não deve ser fácil estar longe de quem mais ama, ver a família separada por quilometros...até os mais fortes se vão abaixo de vez em quando!Desejo-lhe muita força e coragem para dar a volta por cima, porque todos temos momentos menos bons, mas é importante lutar para contrariar os sentimentos mais negativos...!Um abraço

    ResponderEliminar
  14. Sofia, parabéns pela tua honestidade. Admitir algo deste calibre já é duro para nós mesmos, para quem nos é próximo, quanto mais em público. Que a ajuda que procuraste seja exactamente o que precisas para sentir melhorias a cada sessão e ao longo do tempo. Beijo enorme. J.

    ResponderEliminar