Decisões difíceis-parte II


O Gonçalo era para ter ido ontem para a Bélgica num intercâmbio. Não foi. Decidiu-se em reunião de pais com a maioria a votar a não ida. Assumo, eu e o Luís também votámos que não. Mas custou-me, como se estivesse a dar razão ao medo. Fiquei triste com a decisão que tomei. Estou triste ainda, mas não arrependida.

O Gonçalo ia participar num encontro que envolvia nove países e, todos, à exceção da Espanha, tinham cancelado. Também a maioria das atividades não iriam ser realizadas devido ao estado de alerta que se vive na Bélgica.

O Gonçalo reagiu bem (acho que com quinze anos ele também estava um bocadinho assustado) e estamos a torcer para que eles possam visitar os amigos belgas noutra altura.

Muitos pais e alunos ficaram tristes (revoltados?) com o cancelamento, mas quando temos de tomar decisões que envolvem a segurança dos nossos filhos, tudo fica ainda muito mais difícil...



Ontem, no jogo Portugal-Bulgária (nem a derrota nos tirou a a felicidade de estarmos juntos)

2 comentários :

  1. não se deve nunca ceder ao medo mas somos mães e protegemos as nossas crias. É um instinto natural.De fato, se as atividades estão em suspenso não se justifica a viagem.

    ResponderEliminar
  2. Custa dar razão ao medo mas devemos dar sempre razão à segurança em primeiro lugar.

    Depois desta tempestade haverá espaço e tempo tranquilo para se voltar a visitar a Bélgica.

    E a Bélgica voltará a ser ela própria, com pessoas na rua, com transportes públicos, eventos desportivos, etc.

    Beijinhos,
    Paula

    Vida de Mulher aos 40

    ResponderEliminar