A vida como ela é...

Resultado de imagem para victoria and albert pinterest


Ontem cheguei a casa com vontade de me sentar e escrever mil e uma coisa que tinha sentido no fim de semana. Cheguei bem disposta, vi com o mais novo a apresentação de um livro que ele tinha feito para a disciplina de Português, aconcheguei-me a ele no sofá e vimos os dois o episódio (gravado) da série Victoria que anda a dar ao sábado à noite na RTP1.
Depois recebi um telefonema e gelei. A morte tinha separado fisicamente um dos casais mais bonitos que conheci.

E, de repente, nada pareceu fazer sentido. Pensei mais e melhor. E decidi que tenho é de dar mais sentido à vida!

5 comentários :

  1. Sem dúvida. Há a necessidade de alimentar a vida dia a dia, sem hesitação ou adiamentos, para que ela faça sentido.
    A vida é feita todos os dias de hoje. O futuro? esse não existe.
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida. Há a necessidade de alimentar a vida dia a dia, sem hesitação ou adiamentos, para que ela faça sentido.
    A vida é feita todos os dias de hoje. O futuro? esse não existe.
    Boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão, Agostinho. Boa semana para ti também. Beijinhos

      Eliminar
  3. Há notícias que nos fazem repensar a vida. Como é óbvio, o melhor é nunca pensar na morte mas por vezes instantes quando penso que não sei o dia de amanhã, sinto-me a tremer com a possibilidade de alguma coisa de menos bom estar ao virar da esquina. Afasto de imediato o pensamento mas a verdade é que não sabemos o que o destino nos reserva. E sim, não aproveitamos a vida como era suposto.

    ResponderEliminar