Sofia, menos ais!

Não sou rapariga para me andar a queixar da vida que tenho, mas por vezes saem-me uns desabafos.
 Porque tenho muito trabalho na escola, porque há tanta roupa para tratar, porque as minhas unhas estão uma lástima, porque nem tempo tenho para pintar as raízes do cabelo, porque estou cansada, porque tanta coisa.
Depois, respiro fundo.
Penso na sorte que tenho.
E passa-me.




 Acho que ainda não tinha publicado aqui estas fotos destas mulheres, tiradas em Angola. Não quero que tenham pena delas, quero sim que as admirem pela força, pela coragem...

A primeira foto é dura e é a única onde as mulheres dão a cara. Foi o Luís que as tirou na montanha do Gungo. Ele pediu autorização para tirar a foto, elas curiosas e assustadas acederam. E no fim, quando se viram no ecrã da máquina, sorriram.

2 comentários :

  1. Se por um lado pensamos que somos nós as felizardas por termos conforto e nos queixarmos de coisas banais sem a mínima importância... olho para estas mulheres, para a paz, a força, a simplicidade e é impossível ter pena delas... elas parecem ter o que nós nunca temos... tempo.

    Beijinhos e boa semana ;)

    ResponderEliminar