A vida e a morte estão lá fora



Chegámos ontem das festas da vila e ficámos os três, estarrecidos, petrificados, a olhar para a televisão. Hoje de manhã, as notícias ainda eram mais tristes e continuámos a olhar para a televisão.

Depois eu levantei-me e fugi da televisão. Disse aos meus filhos que não demorava. Fui ao supermercado mais próximo e comprei águas e barritas que entreguei no quartel dos bombeiros da minha freguesia.

Sou uma mãe normal, não sou melhor do que ninguém, mas sei que há um caminho a seguir: educar pelo exemplo. Podemos assistir passivamente à tragédia, podemos deixar que as lágrimas rolem, podemos sentir uma infinita tristeza. Contudo, é preciso levantar e re(agir)... a Vida e a Morte estão lá fora.




2 comentários :

  1. Reagindo ao torpor negro e fatal
    da insanidade comunicacional esmagadoramente contínua indecente
    será possível escapar (não vendo(?))
    sentindo agindo

    Bom dia, Sofia.

    ResponderEliminar