Por onde tens andado, Sofia?



Nunca tinha tido um verão assim. Depois de Praga e Viena, viemos a casa dar uns mimos à Izzie e voámos até ao norte de Inglaterra para estarmos os quatro. 
Em finais de agosto, eu e os miúdos voltamos a nossa casa numa segunda-feira à noite, lavei roupas, organizei-lhes a vida para estarem por cá por uma semana (distribuiu-os por amigos, irmã, avós e tio) e sexta-feira à noite já tinha a mala feita para rumar de novo a Inglaterra.

Não fui de ânimo leve. Foi a primeira vez que os meus filhos ficaram em Portugal sem o pai ou a mãe por perto e custou-me como um raio! No entanto, este curso em Oxford já estava marcado há muito (e na altura tudo indicaria que o Luís estivesse por cá). Sabia que era uma oportunidade que não poderia perder e correu tudo bem. Fui com duas amigas minhas do coração, ficámos instaladas numa Host family ( A Mrs Evans tem 73 anos, cozinha muito bem e fazia-me sentir como se eu tivesse dezasseis anos outra vez) e frequentámos um curso de língua e cultura inglesas com uma professora galesa muito competente, e tão querida que nos mandava como trabalho de casa ir a um pub diferente todas as noites! 
Importante dizer que antes de me instalar em Oxford, rumei até Liverpool para estar com o Luís (fiz quilómetros de autocarro e comboio, mas valeu a pena).


No sábado, cheguei de madrugada a casa e tinha os meus filhos à espera (nem o Gonçalo disfarçou que tinha tido muitas saudades minhas). À noite, enquanto eles estavam na Festa da vila, fui comemorar o quinquagésimo aniversário da minha amiga Padina (uma festa linda, linda com ela) e no domingo de manhã, mesmo tendo dormido poucas horas (é que eu tenho outra vida em que sou taxista de adolescentes), levantei-me cedo e fui dar um beijinho a uma amiga de infância que faz trabalhos lindos com suculentas (Paixão Verde).
A partir de domingo à tarde entrei em modo automático e nem para Instagram  houve tempo. Quer dizer, houve apenas para publicar uma foto a lembrar que fiz/fizemos de-za-no-ve anos de casados (já?).

Entre o recomeçar das minhas aulas e das deles, organizar horários (acho que este ano, mesmo tendo a sorte de trabalhar a cinco quilómetros de casa, vou fazer milhares de quilómetros no vai buscar-vai levar- ai que eu saio o meio-dia- ai que o Gonçalo sai à uma e meia- ai que eu saio às quatro, ai que o Miguel sai às seis...), organizar roupas e cadernos, ter reuniões com treinadores de futebol e mil e uma coisa do dia-a-dia, mal tenho tido tempo para me sentar a escrever.

E tenho sentido a falta de escrever aqui no blogue.

Voltei e procurarei ser mais pontual.

2 comentários :

  1. Se o motivo da sua ausência é ser feliz com os seus, está perdoada:)
    A sua escrita também me faz falta e, apesar de não comentar assiduamente, sou uma leitora fiel.
    Bonne rentrée!
    Beijinhos, Cristina

    ResponderEliminar
  2. Bom ano, Sofia!Bj
    A.O.

    ResponderEliminar