Vidas contadas

imagem daqui
Ontem, ao ver o programa da Judite de Sousa, Vidas Contadas, houve uma frase que me ficou a martelar e que tenho mesmo de partilhar.
A propósito de obesidade, uma senhora contava o quão terrível era ouvir as pessoas comentarem " Ah, coitada, tão gorda", " Que horror, tão gooorda!" e outras atrocidades do género...
 Sabem o que essa senhora respondia? " Pois eu sou gorda, mas posso vir a perder peso. No entanto, a sua falta de educação não tem cura!"
E eu concordo em absoluto. Acredito que por detrás de cada quilo a mais há uma razão e não consigo compreender o motivo  de algumas pessoas sentirem prazer em estar constantemente a pôr (ainda) mais para baixo  alguém que tem peso a mais... Que pessoas são essas? Pessoas más? Mal resolvidas? Mal educadas? Pouco sensíveis? Ou tudo isso misturado?

22 comentários :

  1. Talvez tudo isso misturado... É triste mas acho que a nossa sociedade está muito agarrada a padrões de beleza e quem não é perfeito não encaixa... enfim, é mesmo muito triste.

    Kiss kiss

    ResponderEliminar
  2. Acho que é mesmo uma mistura. Também já ouvi pessoas a dizer isso a outras e fiquei revoltada.

    ResponderEliminar
  3. Uma extrema falta de sensibilidade e de satisfação em magoar os outros. E falamos da obesidade como se pode falar em relação a uma mulher solteira quando perguntam se quer ficar para tia, ou a um casal sem filhos que poderá até estar a lutar contra a infertilidade.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Também vi um bocado, embora não essa parte. Impressionou-me sobretudo a senhora que tinha perdido filho, mãe, marido... Uma sobrevivente, impressionante! Eu não teria aguentado...
    Quanto à estupidez humana, começa muito cedo, com as crianças que, na escola, gozam com o colega gordo, pobre, tímido, etc. Tudo para que olhem para o outro, vejam como é desajustado, não olhem para mim, eu sou normal! Enfim...
    Bjsss,
    Madalena

    ResponderEliminar
  5. Concordo com o que a Carrie disse! O problema está nos padrões de beleza que são cada vez mais restritos!
    É horrível uma pessoa estar em baixo e ainda ter de ouvir esses comentários.
    Algumas vezes, é por problemas de saúde!!!

    ResponderEliminar
  6. o problema está na falta de filtro de algumas pessoas... do pensar ao falar vai uma grande diferença! depois ainda há o outro tipo de pessoas: as que se sentem felizes com a infelicidade dos outros... as que tentam magoar, porque gostam... as pessoas más e sem escrúpulos!

    a sociedade até pode valorizar demais certos padrões de beleza, da mesma forma que valoriza outras coisas... uma sociedade é assim mesmo! agora... isto que referes é uma questão de personalidade (ou falta dela)!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Acho que se pode resumir numa palavra o que essas pessoas são: estúpidas. Tanto no sentido de "burras"/"idiotas", porque não sabem medir aquilo que dizem, como no sentido de "anormais", porque são pura e simplesmente mal formadas.

    ResponderEliminar
  8. nunca compreendi o porquê das pessoas dizerem certas coisas às pessoas, e ainda dizem que não tem mal nenhum em dizer!

    ResponderEliminar
  9. Infelizmente há pessoas assim, sem um bocadinho de bom senso e certamente muito frustadas.

    ResponderEliminar
  10. No biggest loser apareceu uma senhora a justificar a sua obesidade com uma violação enquanto pequena, a partir dai para se proteger começou a engordar.
    Sinceramente não percebo metade das justificações, mas o cérebro humano é algo realmente estranho!

    ResponderEliminar
  11. Sofia, considero que é uma mistura de tudo o que apontas, com a agravante dos protótopos de beleza, hoje em dia serem demasiado ortodoxos, tal como algumas amigas, já referiram aqui.
    Beijonhos

    ResponderEliminar
  12. Como se alguém precisasse de ouvir essas coisas para saber que está gorda (ou seja que outra coisa for). É falta de educação, de respeito, é falta de tudo!

    ResponderEliminar
  13. Acho que são um pouquinho de tudo isso, não entendo também querida, acho que há neste mundo muitas pessoas com uma falta de sensibilidade atroz.

    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  14. Além da falta de educação de quem faz esses comentários, em geral nunca estiveram na situação de gorda. Eu não sou magra, sempre tive excesso de peso apesar de não me considerar obesa. Sempre que ouço ou leio alguém fazer esse comentário penso que aquela pessoa nunca passou pelo suplicio que é perder peso.
    Ainda há tempo me "envolvi" numa dicussão virtual, num blog conhecido, com várias pessoas que chamavam a uma concorrente de um passatempo "gorda e velha". A senhora teria perto de 50 anos e estava em forma, no entanto gente mesquinha dizia que o ideal era vestir um 32, maximo 34. Faz-me confusão gente assim, que não vê além do esteriotipo que nos querem "enfiar" os media.
    Bem, já está longo este comentário, desculpa lá.
    Bjnhs

    ResponderEliminar
  15. Alem da falta de educacao e' o prazer de magoar... e isso comeca desde muito pequeninos quando chamamos ao outro "gordo" caixa d'oculos" 'desdentada" "girafa" e por ai fora...
    bjinhos

    ResponderEliminar
  16. Eu já não sei que diga, acredito que seja muito complicado perder peso... mas já passei pelas consultas de obesidade e acredita que grande parte das pessoas que fazem cirurgia estão-se nas tintas para comer menos e aprender a comer! É um suplicio convencer alguém que a dieta é o caminho, pois preferem uma cirurgia cheia de riscos que lhes resolva o problema...

    Claro que não defendo que se deva esteriotipar as pessoas, mas o programa foi muito em conduzido e mostrou também que nem sempre as pessoas querem cooperar muito para resolver a sua doença! Espero que sirva de sensibilização para que a população adira a uma alimentação mais saudável...

    Kiss*

    ResponderEliminar
  17. A falta de respeito é o prato do dia! :(

    ResponderEliminar
  18. Há pessoas que não escutam as barbaridades que dizem... Já me aconteceu uma situação similar: uma vez uma familiar encontrou a mim e ao meu marido e, em vez de "-Bom dia como estás/estão?" disse:"-É pá, estás tão gordo!..." ele ficou sem resposta (na altura estava com uns quilitos a mais, que entretanto perdeu), mas eu retorqui "-Olá, bom dia, nós estamos bem obrigada e tu?"

    bjo

    ResponderEliminar
  19. Somos uma sociedade cheia de estereótipos, infelizmente.
    Bj.

    ResponderEliminar
  20. É mesmo triste. E concordo que essas pessoas nunca devem ter sabido o que é lutar contra o peso, coisa que fiz toda a minha vida, visto que tenho problemas de tiróide à mistura e até com o ar engordo...pelo contrário, uma das minhas primas, com quem tenho mais contacto, é magra que nem um espeto e come como uma desalmada!! Lembro-me de me sentir extremamente injustiçada em criança por andar permanentemente em dieta e vê-la empanturrar-se de doces. Mas isso também era alguma falta de sensibilidade de quem nos rodeava...e na escola, isso sim era o pior, as criancinhas conseguem ser muito cruéis...e os jovens.
    Mas isso educa-se, temos que começar por baixo, pelas nossas crianças para termos adultos concienciosos.

    JM

    ResponderEliminar
  21. Eu não era gorda mas digamos que estava "forte" e por isso decidi-me a perder peso, já lá vão 22 quilos mas de facto, quando me diziam que eu estava "forte", ficava muito em baixo porque nunca teço comentários ao aspecto das pessoas...
    Cada um é como é e há sempre uma razão para estarmos de determinada forma e as pessoas que fazem comentários desses, não pensam se calhar, que não os gostariam de ouvir...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  22. Também vi o programa e gostei muito dessa senhora, a forma como falou e quando disse que as pessoas tinham de tomar as decisões por elas e não para agradar quem quer que fosse.
    Ainda há programa interessantes que substituem as novelices, onde impera o "novo português" do nosso adorado acordo ortográfico!
    Bj**

    ResponderEliminar