Dia feliz




E só quando andamos na rua com pessoas com mobilidade reduzida é que nos apercebemos que há tanto por fazer... No entanto, uma coisa constato, há sempre alguém por perto pronto a ajudar.

Na foto é o meu pai. Com a sua inseparável amiga. Trotineta, chamamos nós à cadeira andante que lhe dá (alguma)  autonomia que um AVC lhe roubou. No Portugal dos Pequenitos, onde ele nunca tinha entrado.

16 comentários :

  1. Infelizmente ainda há muito a fazer mas, como dizes e bem, felizmente há pessoas sempre prontas a ajudar.

    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  2. Boa! Neste dia não se deve ter sentido nada pequenino... pelo contrário!!

    ResponderEliminar
  3. Deparo-me no dia-a-dia com uma série de dificuldades, mas tal como dizes felizmente ainda há muita gente que oferece ajuda ;)

    ResponderEliminar
  4. Minha querida,
    estiveste por perto hoje!
    Felizmente há pessoas dispostas a ajudar a ultrapassar obstáculos que nem deviam estar lá em primeiro lugar.

    Beijinhos doces

    (sempre combinamos algo para este Verão?)

    ResponderEliminar
  5. Deve ter sido um dia em cheio:) Infelizmente ainda temos muitas barreiras arquitectónicas mas realmente conforta saber que há sempre alguém disposto a ajudar.
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  6. Parece incrível. Sigo o seu blog há alguns meses e hoje estive no Portugal dos Pequenitos com a minha sobrinha de dois anos. Vi o seu pai, reparei na família que o acompanhava, e pensei em como todas as famílias deviam ser assim: não deixar de partilhar momentos felizes com aqueles que por qualquer razão têm limitações. Um beijo com admiração.
    NA

    ResponderEliminar
  7. Realmente agora deixaste-me a pensar...é bem verdade, só quando se passa pelas coisas é que se sabe.

    ResponderEliminar
  8. Caro NA,
    Já me emocionou...
    Um beijinho enorme,
    Sofia

    ResponderEliminar
  9. Penso nessas pessoas tantas vezes...se eu que tenho todas as condições de para circular nas ruas, me vejo muitas vezes atrapalhada e contornar certos obstáculos (obras, buracos, passeios demasiado estreitos e desnivelados, carros maal estacionados...) imagino pessoas que não têm todas as faculdades que eu tenho.

    É fantástico que o teu pai possa ter essa mobilidade :) deve ser óptimo para ele!

    Beijocas grandes

    ResponderEliminar
  10. É incrivel como há falta de meios...

    ResponderEliminar
  11. Ainda há mto por fazer.
    um beijinho

    Maggie

    ResponderEliminar
  12. Realmente é pena hoje me dia haver tanto para fazer no que toca a mudar hábitos e mentalidades nessa área.
    Ainda bem que o teu pai tem uma trotinete dessas, dá imenso jeito :)

    ResponderEliminar
  13. Tornaram o teu pai num verdadeiro pequenino ao dar-lhe um dia divertido e feliz.
    Bj**

    ResponderEliminar
  14. Que bom que foi um dia feliz! Apesar das dificuldades temos que saber aproveitar o que a vida nos tráz de bom... e o teu pai é um exemplo! =)

    Um big Kiss*

    ResponderEliminar
  15. Fantástico, ainda bem que há formas alternativas e que possibilitaram o teu pai viver este dia assim! :)

    ResponderEliminar
  16. Há 12 anos atrás, o meu pai caiu do 5º andar. sobreviveu mas em consequência da queda foi necessário amputar uma das pernas abaixo do joelho. Lembro-me perfeitamente de um dia termos ido a Lisboa tratar do seguro e do desconforto, da mágoa, da raiva, da impotência que senti. A minha mãe empurrava a cadeira de rodas (nessa altura ele ainda não tinha a protese), e eu, o meu Diogo, no carrinho de bébé. As dificuldades com que nos deparámos foram imensas. Carros mal estacionados, subir e descer passeios, os olhares das pessoas(o meu pai estava sem cor,muito branco, com um ar muito velho, esteve hospitalizado 3 meses) e, por fim, o elevador. No minusculo elevador, só cabia a minha mãe e a cadeira de rodas.
    A verdade, é que comecei a reparar mais nos obstáculos com que as pessoas com mobilidade reduzida enfrentam no seu dia-a-dia. Muito há ainda a fazer. O meu pai cá continua e bem, graças a Deus.
    Que bom que o seu pai tem essa amiga, a trotinete, que permite que façam passeios tão agradáveis em família. Um abraço

    ResponderEliminar