A (minha) vida como ela é...


Era para ter ido à Holanda esta semana, a acompanhar alunos, num dos intercâmbios que a minha escola promove. Sabia que ia gostar, que me ia divertir, que ia adorar a companhia da minha amiga e dos meus colegas holandeses. Mas desta vez tive que dizer não.
Custou-me. Custa-me, mas desta vez foi melhor ficar.
A verdade é que o meu Miguel sentiu muito a última vez que me ausentei (novembro 2011, Cracóvia). Chorou quando me despedi, chorou de saudades quando não estive, chorou agarrado a mim quando regressei. Eu sempre achei que ele estava habituado a estas minhas viagens pois desde que ele era bebé que eu tenho ido. Só que agora ele está numa fase diferente, tem sete anos e diz que se assusta quando eu me vou embora e não se consegue lembrar nem da minha cara nem da minha voz.
Desta vez, senti que não era o momento para me ausentar. Não foi nenhum manual de bons pais, não foram filosofias, não foi ninguém que o exigiu. Senti e confiei no meu instinto de mãe.

Sei que mais oportunidades surgirão e, mesmo tendo-me custado, sinto que há alturas em que temos de ceder e seguir o que pensamos ser o melhor a fazer...E que melhor conselheiro que o coração de uma mãe?

18 comentários :

  1. Só nós é que sabemos o que nos vai no nosso íntimo. Só nós conhecemos verdadeiramente os nossos filhos! :)

    Kiss

    ResponderEliminar
  2. Temos de seguir o nosso coração de mãe.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Os nossos instintos não falham! Eles aos 7, 8 passam por uma fase de medos, depois passa!

    ResponderEliminar
  4. Linda eu sei tão bem o que é isso , cada vez que viajo sem uma das filhotas é um pesadelo !
    Eu propria sinto muito a falta delas!

    Bj!

    www.algodao-docedoce.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Coração de mãe não se engana, não é?? Fizeste bem. Mas se houver outra oportunidade para conheceres a Holanda não a percas, porque é liiiindsaaaa!!! Bjinhos

    ResponderEliminar
  6. Coração de mãe tem sempre razão.
    Eu sei bem o que isso é.
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. o teu instinto de mãe sentiu que devia ficar e isso não se contraria. Surgirão outras viagens, agora o teu filhote precisa do teu mimo:) bj!

    ResponderEliminar
  8. Não sou mãe ainda ! Mas sou filha e nao gostava estar tanto tempo sem a minha mãe ! Acho que fizeste muito bem :)

    ResponderEliminar
  9. Se fizeste o que o teu coração achou melhor, então fizeste muito bem:)

    ResponderEliminar
  10. Olá,
    só tu podes saber o que sentes.
    Fizeste bem.
    Bjs
    Fica bem

    ResponderEliminar
  11. Fizeste bem em seguir o coração :)

    ResponderEliminar
  12. Fizeste o que achaste melhor. É só uma fase e concerteza outras oportunidades virão!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. não, de facto não há melhor conselheiro que um coração de mãe!

    Foi uma opção muito maternal... afinal a nossa principal profissão tem quer sempre: ser mãe!!

    ResponderEliminar
  14. Eu tenho duas raparigas, a mais nova com oito anos, por isso compreendo muito bem a tua atitude. Já recusei alguns projetos que implicavam ausências de mais do que dois dias, nomeadamente a participação em projetos Comenius, por saber que a minha filha não lidaria bem com a minha ausência e sabendo que ela não estava bem, eu também não estaria... ainda que sinta muita pena por ter desperdiçado algumas oportunidades. Espero que voltem a surgir numa fase em que as minhas raparigas estejam mais crescidas. Beijinhos!!

    ResponderEliminar
  15. Acho muito bem! Mete o menino debaixo da saia e não saias de casa! O menino mimado agradece!

    ResponderEliminar
  16. Estou a ver que o comentário anterior é de um homem...ainda para mais não parece que já tenha sido pai. Fizeste muito bem...

    ResponderEliminar