Dogs never bite me.Just humans.

"Dogs never bite me. Just humans” é uma frase atribuida à Marilyn Monroe e, para já, confirmo.
E eu que nem era pessoa de andar sempre a defender os animais, eu que nem gostava por aí além de cães, fui tomada de um amor enorme pela minha cadela Izzie e cá em casa a família já não parece completa sem ela. 

2012 foi realmente marcante na nossa família pela entrada na nossa vida da Izzie, cadela rafeira com crises de identidade frequentes (às vezes pensa que é gato) e nós estamos completamente apaixonados por ela. Os putos adoram-na e, o rapaz, que inicialmente torceu o nariz, está completamente rendido.

Deixa-la em casa é que já nos custa e apetece-nos sempre inclui-la nos nossos passeios. 
Hoje, fomos até à Nazaré, mais uma vez. Estava vento, mas eu também gosto da praia assim...invernosa. D.Izzie acompanhou-nos e, como estava frio, embrulhei-a numa t-shirt que era do Miguel. Os rapazes reclamaram... que não podia ser...que podiam gozar com ela, que ela podia sentir-se inferiorizada. Eu insisti só um bocadinho porque estava mesmo frio e os pingos de chuva podiam constipá-la. D. Izzie não pareceu incomodada e lá nos acompanhou. Por fim, lá cedi e acabei por lhe tirar a camisolita, mas aviso já: estou cheia de ideias!







3 comentários :

  1. Querida Sofia, a D. Izzie é uma fashion, idêntica à dona. :)
    As vossas fotografias estão um must.
    Beijinhos grandes e boa semana. :)

    ResponderEliminar
  2. Bom dia, temos cá em casa uma cadelinha cruzada de uma mistura que o veterinário não consegue muito bem identificar (aparentemente antecedentes de labrador e s. bernardo) com quase 3 meses prestes a terminar o pack inicial de vacinas para poder começar a sair à rua. Desde a infância que só tive ligação com gatos, pássaros e peixes, e o meu Pai foi o único do clã a ter cães em miúdo. Truques e dicas importantes de educação para esta primeira etapa, pf?

    Temos quintal, onde se movimenta à vontade, mas está a ser complicado gerir e educar a fazer as necessidades especificamente num sítio só (até comprei aqueles resguardos indicados para ensinar), e principalmente de manhã, como dorme resguardada no alpendre, mostra-se muito hiperactiva e não me obedece, chegando a morder tudo o que mexe e a rosnar quando é contrariada.

    De alguma forma sinto-me triste com esta situação, por adorar animais e querer aproveitar esta experiência ao máximo, mas já dei comigo a perguntar se, na linha do Encantador de Cães, não estarei a transmitir a energia errada, mas não sei bem como agir, apesar de pesquisa em livros, na net, etc. A sensação que dá é que abusa precisamente da pessoa que mais cumpre com as tarefas de a alimentar e limpar, sendo que tento ter uma postura de autoridade democrática, mas há momentos em que me tira do sério e dou por mim nervosa e com receio que me faça mal...

    Desde já peço desculpa pela extensão do comentário e agradeço todas as sugestões que me possam ajudar a ultrapassar este desafio com sucesso e prazer!

    Beijinho e muito obrigada!

    ResponderEliminar
  3. Foram a Nazaré??? Não é linda essa terra?? A minha mãe é de lá e vamos lá pelo menos 1 vez por mês.... A tua cadela é igualzinha ao nosso pintas, que é um seter irlandês. Nos também temos agora um cão rafeiro é pela primeira vez também nos apetece leva-lo nos nossos passeios (entenda-se a Nazaré, único sítio onde vamos por estas alturas de austeridade). Diverte-te na Holanda!!

    ResponderEliminar