Eu sempre fui um vidrinho...

Untitled
O meu pai sempre disse que eu era um vidrinho, queria ele dizer que as lágrimas me saltavam facilmente. Pois sou, é verdade. E hoje o vidrinho que eu sou, ficou um bocadinho, digamos, lascado...
Depois de um dia inteiro a corrigir exames, resolvi ir ao ginásio. Sem vontade, arrastei-me até lá para uma aulinha de Step. Mais valia não ter ido.
Uma moçoila, que claramente acha que sabe tudo, comentava a propósito do Luís ter emigrado: " Ai, eu não deixava o meu homem ir!", " Ai, eu ia também com os meus filhos!", " Ai, eu não gosto de dormir sozinha",  " Ai, eu ia com ele!".
Eu ainda respirei fundo e lhe disse  que eu há um ano atrás talvez até pensasse o mesmo, mas a moçoila não desarmou. Fomos fazer a aula de Step e eu não me consegui concentrar na coreografia, as lágrimas saltavam-me dos olhos e eu corri porta fora.

O vidrinho que eu sou não partiu, mas rachou. Não descarreguei na aula, mas descarrego agora nas teclas e entretanto, vou dizendo mentalmente o que a minha mãe me ensinou  " Dá-lhe um desconto, Sofia". 
O problema é que me sinto frágil e só consigo pensar que há pessoas que são  insensíveis e que adoram falar do que não sabem. Será problema de algumas mulherzinhas que gostam de ser más umas para outras? Talvez.
Mas eu sou um vidro com sorte. Posso ter uma lasca, mas tenho "amigas-super-cola -3" preparadinhas para me reparar.

E pronto, estou melhor. Grande terapia é este blogue!

42 comentários :

  1. Força! Não tarda nada tens o teu marido de volta...

    ResponderEliminar
  2. Compreendo que te tenha deixado triste, mas é o que dizes, há pessoas que só estão bem a magoar as outras. Um beijinho grande e força!

    ResponderEliminar
  3. "Quem sabe, muitas vezes não diz. E quem diz muitas vezes não sabe." ;) Não aceite críticas de quem não conhece as suas batalhas diárias! Força :)

    ResponderEliminar
  4. :) não consigo perceber como há pessoas que se sentem no direito de opinar sobre a vida dos outros, e sem noção... será que as pessoas não percebem que quando estamos por fora não sabemos de nada?... e na verdade nem sabemos o que nós próprios faríamos em determinadas situações!! Achamos que sabemos!!


    www.hiimab.com

    ResponderEliminar
  5. Sofia, não ligues... ! Mesmo. Um beijinho enorme.

    ResponderEliminar
  6. Tenta não ligar porque as pessoas criticam o que não conhecem.

    ResponderEliminar
  7. Olha, neste pequeno mundo, há pessoas más. Simplesmente muito más. Com uma maldade que é capaz de nos surpreender. E sinceramente estas pessoas não merecem qualquer crédito. A vida encarregá-las-á com várias surpresas e nessa altura... ui ui.

    ResponderEliminar
  8. O vidro tem vida contínua, graças à reciclagem: "Vidro velho vira novo", por isso ser vidrinho ainda se vai revelar muito bom! (P.S. - Eu também sou de lágrima fácil, por acaso).
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Olá Sofia,

    Entendo bem a situação que está a viver pois no início deste ano o meu namorado viu-se "obrigado" a ir trabalhar para o Brasil e estivemos cerca de três meses separados apesar das conversas diárias via skype. Para mim foi muito difícil no início mas por mais cliché que pareça, a nossa capacidade de adaptação psicológica é sempre superior ao que achávamos e adaptei-me. O coração acalmou, abracei as rotinas e senti-me cada vez mais calma apesar de ir tendo os meus momentos. A família e os amigos que cá ficam acabam por ser essenciais no processo. Espero que corra tudo da melhor forma possível. A mim ajuda-me pensar que é tudo em prol de um bem maior e que um dia seremos recompensados pelo esforço sem nunca perder a esperança.
    Muita força:)

    ResponderEliminar
  10. Eu acho que há pessoas que não têm capacidade para ver mais além, são curtas, curtinhas e coitadas dizem estas coisas que acabam por magoar. Ainda bem que não somos todos iguais! Irra!!!

    ResponderEliminar
  11. Neste momento só me ocorrem dois provérbios em relação à dita moçoila, "É fácil falar de barriga cheia" e o segundo "Os cães ladram e a caravana passa" (mesmo que por vezes seja difícil). Nestes últimos dias tenho-me lembrado muito de um ex-colega e grande amigo que se ausentou do país, à procura de uma oportunidade que infelizmente este país não lhe deu, deixando para trás a família, que eu sei ser tão importante para ele, visto ele ser um bom pai e marido. Hoje, fiquei muito satisfeito ao falar com ele e saber que ele está bem, pese embora as muitas saudades da família. Uma das coisas que lhe disse é que admiro a sua coragem, porque a sua decisão foi um acto de grande coragem.
    Esse meu bom amigo é o seu marido.

    ResponderEliminar
  12. Conselhos, opiniões e criticas se fossem coisa boa ( pagavam-se)
    por isso não vale a pena dar importância.
    Uma boa-noite ,com mais um pouco de super cola 3
    Muita força
    Família benfiquista

    ResponderEliminar
  13. Amo-te muito.
    Essas senhoras não conhecem a relação maravilhosa que nós construímos e vamos de certeza continuar a viver.
    Um beijo cheio de carinho aqui de Cuacra.
    Luís M

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu assisto, sou testemunha, e garanto esta declaração é verdadeira!!!!

      Eliminar
    2. ps - força aos dois :)

      Eliminar
  14. Olha, essa senhora devia antes preocupar-se com o homem dela, se é que o tem! Não ligues a gente burra e que não sabe o que é a vida!
    Beijinhos, linda, e força, que o futuro será melhor!

    ResponderEliminar
  15. Tenho blogue há 7 anos...tantos né...comecei com o Tru Again - está linkado no meu blogue...e embora aqui na "net" haja muita gente miudinha, também há gente de alma grande, que nos abraça e embala o coração.
    Por isso querida Sofia, o amor que vos une será de certeza mais forte do que distência, a decisão de "ir" foi de certeza por amor a vós...
    Além disso julgo que o teu marido te respondeu no comentário anterior...maravilhoso.
    Há relações "perto" que adorariam ser como tua é mesmo agora com a distência.

    Um beijinho doce

    ResponderEliminar
  16. Parece que também sou um vidrinho, pois estou a ler o teu blogue e a lutar contra um nó na garganta que me puxa as lágrimas de uma forma assustadora! Um beijo muito grande e muita força! Não é fácil de certeza....

    ResponderEliminar
  17. "Não palpites na vida alheia" é o meu lema. Para ti só me resta acrescentar; és uma mulher forte e de convicções. O que diz quem não te conhece não interessa. A separação é muito recente irás certamente ganhar defesas contra gentalha...
    Amo-vos muito e admiro a vossa coragem.

    ResponderEliminar
  18. "Não palpites na vida alheia" é o meu lema. Para ti só me resta acrescentar; és uma mulher forte e de convicções. O que diz quem não te conhece não interessa. A separação é muito recente irás certamente ganhar defesas contra gentalha...
    Amo-vos muito e admiro a vossa coragem.

    ResponderEliminar
  19. "Não palpites na vida alheia" é o meu lema. Para ti só me resta acrescentar; és uma mulher forte e de convicções. O que diz quem não te conhece não interessa. A separação é muito recente irás certamente ganhar defesas contra gentalha...
    Amo-vos muito e admiro a vossa coragem.

    ResponderEliminar
  20. "Não palpites na vida alheia" é o meu lema. Para ti só me resta acrescentar; és uma mulher forte e de convicções. O que diz quem não te conhece não interessa. A separação é muito recente irás certamente ganhar defesas contra gentalha...
    Amo-vos muito e admiro a vossa coragem.

    ResponderEliminar
  21. "Não julgar a vida alheia" é o meu lema, nem sequer dar palpites. Essas foram certamente palavras tolas, sem importância. A tua separação (física) é muito recente, mas com o tempo irás criar defesas contra estas "opinadoras de meia tigela" és uma mulher muito forte, e chorar até faz muito bem, ajuda a limpar... os olhos e a alma. Não deixes de ir ao ginásio e fazer o teu step ou o que quiseres. Ignora! Essa é uma pessoa que não interessa.
    Beijos e conserva a tua coragem, não vai ficar mais fácil, mas teve de ser.

    ResponderEliminar
  22. estou ca Sofia, se queres falar/ desbafar sobre isso tudo...encntranos-nos para um cafe. Bjs immenso e sobretudo, coragem, es muito corajosa.

    Tiphaine

    ResponderEliminar
  23. Olha, vamos la tomar um cafe, ja cheguei...

    Bjs grandes Sofia,

    ResponderEliminar
  24. Gente estúpida!
    Os vidrinhos também se colam!
    Arriba, melhére!!!
    :-)

    ResponderEliminar
  25. Olá Sofia. Não ligues a comentários desses, nesta altura um comentário menos bom magoa-nos imenso. Concentra-te nos teus filhos, no Luís que graças a Deus está bem e a gostar, é o mais importante. Beijinho muito grande e muita força. :)

    ResponderEliminar
  26. Olá Sofia. Neste momento estás sensível, um comentário menos bom magoa-nos imenso. Concentra-te nos teus filhos e no Luis que graças a Deus está bem e a gostar do trabalho. Beijinho muito grande e muita força.:)

    ResponderEliminar
  27. Sofia,

    quem sente com a alma e vê com o coração tem a lágrima fácil! Que o diga eu que choro só de ver o Coro de Santo Amaro de Oeiras a cantar ou os meus alunos de serviço de mesa num coffeebreak na câmara...
    Chora, ri, vive!
    Eu já te disse, quero ser como tu quando for grande!
    um beijo enooooooooooooooooomre.
    Sandra Campos

    ResponderEliminar
  28. Sofia,

    quem sente com a alma e vê com o coração tem a lágrima fácil. Que o diga eu que choro até com o coro de santo Amaro de Oeiras a cantar ou os meus alunos de serviço de mesa a servir um coffeebreak na câmara de Ourém!!!
    Chora, ri, vive!!1
    Já te disse que quero ser como tu quando for grande!
    bjo!

    ResponderEliminar
  29. Sofia, tu não és um vidrinho. És é um cristal e de muito boa qualidade. O luís, esperto, não deixou fugir um cristal de tamanha transparência, ou não fosse ele geólogo!
    Quanto à outra (do ginásio) não ligues. Geralmente quem é opaca tem muita dificuldade em lidar com a transparência genuína.

    ResponderEliminar
  30. Miúda, estiveste numa aula de step? Então "kickstep" nessa alimária com bocarra desmedida. Amanhã conversamos melhor.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  31. Miúda, numa aula de step dessa natureza, atiras-lhe com um "Kickstep" na próxima oportunidade,diz que fui que mandei. Alimárias dessa natureza não têm homens em lado nenhum...ou, se os têm, não sabem se podem confiar neles;vocês estão fora dessa equação.Vocês são um caso de sucesso. Amanhã falamos melhor!!! Beijinhos

    ResponderEliminar
  32. Um beijinho cheio de coragem e boa energia Sofia :) Aproveita o SOL!

    ResponderEliminar
  33. Escrever ajuda! É o que eu faço. A dor continua mas fica mais fácil lidar com ela. Ser vidrinho significa ter alma e inteligência, ao contrário das pessoas que têm muitas certezas e banalizam o essencial.
    Coragem para continuares a ser como és.

    ResponderEliminar
  34. Sofia, desejo-te muita força e não dês ouvidos a estas pessoas. Ninguém vê o mundo com os teus olhos e ninguém sente com o teu coração, por isso ninguém está em posição de te julgar. Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  35. Ora Sofia, não ligues. Cada um é que sabe de si, mas duvido que alguma mulher e mãe responsavel saisse assim, ainda mais para aqule país. Aposto que a moçoila nem aguentava viver lá, pensa que emigrar é fácil.
    Releva e não que incomodes com vozes de burro....

    Beijinhos
    PS. Recebeste a MP no Face?

    ResponderEliminar
  36. A vida não é fácil, Sofia! Mesmo que os vidrinhos se partam ( e os meus têm-se partido muitas vezes) e já se partiram também em conjunto contigo, a vida é assim! Não penses nas coisas menos boas. Pensa nuns filhos queridos que tens (e eu ainda gostava de ser professora também do Miguelinho) e de um coração que tens forte a bater em África. Os vidrinhos dos teus olhos, podem partir-se com facilidade...mas no centro dos vidrinhos está um diamante, que apesar da sua transparência tão cristalina, é um mineral onde o carbono está disposto de forma a que seja um mineral duro, valioso, belo, "timeless", tal como a TUA família continua unida, forte e linda! Não ligues ao que se diz. Há que tentar ser FELIZ...entretanto o teu amor vem e matam algumas saudades! Força, amiga! HS

    ResponderEliminar
  37. Infelizmente Sofia há imensa, mas mesmo imensa gente que como não deve ter vida própria acha que sabe da vida dos outros, e pior acham-se com direito de opinar, mesmo sem lhes pedirmos, sobre a nossa vida e como devemos de a conduzir ...
    Eu como sou um pouco mais "arisca" que a Sofia (pelo que escreve nota-se que é uma pessoa de mais bom trato que eu) e também em parte porque numa altura que tentei ir contra a minha natureza, fui parar ao hospital com uma hemorragia digestiva (uma veia arrebentada no estômago devido aos nervos), por isso deixei de ter disponibilidade para as parvoíces que pessoas desse género querem "despejar" nos outros. Com esse tipo de pessoas pura e simplesmente deixo de falar (um bom dia e já está muito bom!).
    É deixar que a vida se encarregue de abrir a mentalidade a essas pessoas, que não vão perceber o que está a passar porque não têm mesmo capacidade para mais ou sofrem de autismo social!
    E a Sofia nesta altura de fragilidade tem de estar rodeada de pessoas que pelo menos se não a souberem "pôr para cima" que a ouçam e tenham empatia por si e família e sirvam de um porto seguro.
    Não permita que essas conversas irresponsáveis a impeçam de tentar manter alguma rotina ou normalidade na sua vida, que em tempos difíceis como estes que passa, são pequenas coisas como uma ida ao ginásio (entre outras coisas que goste de fazer) que nos ajudam a ir avançado os dias com alguma energia e equilíbrio.
    Para "darem-me na cabeça" e "abrirem-me os olhos" conto com amigos de confiança, que me conhecem e sabem +/- o que passo e ajudam-me a sobreviver neste mundo louco com conselhos válidos ou por pura e simplesmente ouvirem-me quando preciso desabafar.
    Força por ti e pelos que de ti dependem.
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
  38. Olá Sofia,

    Detesto esse tipo de gente que tem que sempre opinar sobre a vida dos outros.
    Mas como eu costumo dizer: "As coisas só tem a importância que nós lhe damos."
    Sei que não deve ter sido fácil ouvir, mas não ligues.
    Muita força
    Beijos
    Elsa

    ResponderEliminar
  39. Olá Sofia o meu "discurso" vais ser curto, porque os meus olhos estão cheios de lágrimas, tb eu sou um "vidrinho" descobri depois de sentir o "dom" que algumas pessoas têm em magoar os outros, sinceramente ainda não achei a receita para ultrapassar a dor que sinto quando isso acontece, pelo contrário ainda me sinto mais frágil,mas isso depende de cada pessoa, talvez porque não tenha a tal "super cola 3" que falavas.
    Um abraço apertado
    Anaflor

    ResponderEliminar