O meu pai e eu - não é o fim.

2011-Fátima

Dormente. Sinto-me dormente e como se estivesse a viver um pesadelo tantas vezes temido.A blogosfera fez-me sempre  muita companhia e quem me segue há quase quatro anos reparou, certamente, que os posts deixaram de ter tanto humor, passei a comentar muito menos os blogues que seguia ( mas nunca deixei de ler) e  fiquei mais triste.

Não adianta como negar: a minha vida mudou e muito neste último ano. E eis que agora o meu pai deixou de abrir os braços para me receber.

O meu pai, quase dependente de tudo, sempre manteve um sorriso e os braços abertos, mas de há duas semanas para cá começou a ficar mais triste. Na quinta feira,  quando me cheguei perto, senti-lhe  as mãos gélidas. Tentei que ficassem mais quentinhas, que ele batesse palmas, que mexesse os dedos e agarrei-lhe as mãos dele entre as minhas com força. Perguntei-lhe se queria alguma coisa e foi então que me respondeu com os olhos carregados de tristeza, com as lágrimas a caírem sem parar e com uma lucidez que me sobressaltou: "Sabes, Sofia...o que eu queria era morrer". 

Já o tinha ouvido dizer muitas vezes que não andava aqui a fazer nada, mas foi a primeira vez que o senti a sério. O meu pai desistia. Desistia de dez anos de fisioterapia, de bengalas, andarilhos e cadeiras de rodas. Desde 2003, aquando o primeiro AVC, que ele nunca mais recuperou e as suas capacidades foram sempre reduzindo. Ele estava cansado, não gostava das fraldas e de dar trabalho, não queria já  viver assim.

E, apesar de continuar a perguntar pelos netos, pelos que lhe eram próximos, apesar de no sábado apresentar uma ligeira melhoria ( ainda o levamos ao café), ontem, depois de ter tomado o pequeno almoço foi embora. Rápido, rodeado pela família, no seu lar, como ele tanto queria. 

Foi tudo tão depressa que aquelas duas horas pareceram surreais: bombeiros, Inem, prestar declarações à polícia, decidir sobre o funeral e receber os abraços de muitos amigos que foram chegando. O meu pai já não sofria.
Resta o consolo de saber que pensamos que ele nem percebeu e que, quando partiu, estavam presentes quem tanto amava.

Hoje, dia do funeral, vai ser um dia difícil e sei que vou sentir muito a falta do abraço do Luís. Ele que ficou destroçado por não estar comigo, porque sabia o quanto o meu pai o amava, porque queria estar aqui hoje. O que lhe disse, ontem, quando nem sei onde fui buscar energia para lhe comunicar o que tinha acontecido, foi que sentia a força dele e que procurasse um abraço, porque ele sim estava só.

A vida é isto, mas nunca se está verdadeiramente preparado. Por isso peço-vos, a quem me lê por aqui, transformem um minuto do vosso tempo a torna-lo num tempo precioso: mimem o vosso pai, mãe e façam-nos sentir que os amam verdadeiramente. Para quem já não tem a felicidade de os ter próximo, acenda uma vela e pense em memórias felizes que tenha vivido com os vossos pais. 
É o que estou  a fazer. 

90 comentários :

  1. Sofia, sinto muito.
    Um beijinho e muita força.

    ResponderEliminar
  2. Os meus sentimentos Sofia! Fiquei de lágrimas nos olhos! Bateu-me a saudade do meu pai que apesar de estar bem de saúde está longe de mim! Força. Parou de sofrer coitadinho! Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Ohhh Sofia....lamento tanto saber essa notícia! Muita, muita força! Um abraço muito apertado!

    ResponderEliminar
  4. um grande abraço para si. Ele está na paz de Deus.

    ResponderEliminar
  5. Querida, um beijinho enorme cheio de boa energia para esta altura de luto. Recorda, chora e depois quando conseguires, sorri. Ele dencansa agora como um anjo. Tranquiliza esse coração. Beijinhos***

    ResponderEliminar
  6. Sinto muito, uma noticia muito triste. Um beijinho*

    ResponderEliminar
  7. Sofia, sente o meu abraço e recebe um beijinho, com muito carinho. Força.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O teu abraço chegou cá. Beijinhos.

      Eliminar
  8. Ao ler as tuas palavras senti a tua tristeza mas também a tua força... chorei! Porquê? Bem, penso que consigo imaginar a tua dor (essa dor pela qual não estou ainda preparada) e hoje que a minha mãe faz anos, vou mimá-la muito mais. Lamento a tua perda e espero que retomes rapidamente a tua alegria de viver bem como a energia que te caracteriza!
    Um abraço sentido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tua mãe é um doce. Obrigada e beijinhos

      Eliminar
  9. Não há palavras para se descrever este momento de sofrimento, há 8 anos atrás também eu tive esse infeliz momento.... agora só o tempo para minimizar a nossa dor... mas esquecer.... NUNCA.
    Bjo grande minha querida e mta força.
    Paula Cipriano

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu sabes como ninguém. Obrigada e beijinhos.

      Eliminar
  10. oh.. minha querida Sofia! Fizeste-me chorar. Perdi o meu pai há uns anos e sei o que custa! Muita força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por estares comigo. Beijinhos.

      Eliminar
  11. num momento delicado como esse , não haveria de existir palavras. se precisares de mim pode contar comigo!

    ResponderEliminar
  12. Os meus sentimentos, um abraço apertado e um grande beijinho!!! E força muita força!!!!!

    ResponderEliminar
  13. Ó sofia, um beijinho grande e um abraço bem apertado!

    Sinto muito :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, linda! Beijinhos grandes

      Eliminar
  14. Um abraço apertado Sofia! Os nossos pais irão sempre fazer-nos falta, mas sei que todos os pais que moram nas estelas, olham pelos filhos e protegem-nos.

    ResponderEliminar
  15. Lamento tanto mas tanto Sofia. Um beijinho doce e um abraço apertadinho. Estou aqui a rezar por vocês. Coragem para seguir em frente. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Sónia. beijinhos grandes

      Eliminar
  16. Que a fé vos acompanhe neste caminho dificil :(
    Os meus pêsames...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acompanha. Obrigada e beijinhos.

      Eliminar
  17. Querida Sofia, um abraço muito apertado para ti neste momento tão difícil. Partiu, mas teve sempre o amor e companhia da família, e agora são vocês que têm de se apoiar uns aos outros. bj e força,ok?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Doce Rita, fazes falta na blogosfera e tenho muitas saudades tuas. Beijinhos grandes e obrigada...

      Eliminar
  18. Oh Sofia lamento muito, nem imaginas o que me doeu ler o que escreveste, o meu pai ja vai fazer 75 anos e eu todos os dias sofro porque nao estou a dar-lhes o mimo que devia pois eles fizeram e fazem tudo por mim
    beijinho e um abraco muito apertadinho para ti e para toda a familia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu imagino, mas acredito que mesmo longe tu estás perto. Beijinhos.

      Eliminar
  19. Respostas
    1. Obrigada. Mais uma vez me confortas:)

      Eliminar
  20. Sofia, é a primeira vez que comento o seu blog, uma tanto por acanhamento, apesar de me identificar bastante com o que escreve.
    Vivi uma boa parte da minha vida em Torres Novas pelo que Leiria me é bastante familiar.
    Também perdi o meu pai há quase 4 anos (que farão em Janeiro), após diversos AVC. Assisto hoje dolorosamente à progressiva perda de faculdades da minha mãe, que sofre de Alzheimer.
    Neste momento de dor, solidarizo-me consigo e com os seus e só lhe poderei repetir uma frase de Amado Nervo, em Plenitude, que me tem ajudado bastante a relativizar momentos de perda como esse (tenho formação religiosa, católica, se tiver, a frase fará sentido): "Not dead, but gone before."
    Um grande abraço e força. É uma mulher de coragem, que muito admiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Milena,
      Agradeço tanto o seu comentário. Eu também acredito:)

      Aposto que nos daríamos bem. Um beijo grande e muita força! Beijinhos

      Eliminar
  21. Um abraço muitooooo apertado :(((

    ResponderEliminar
  22. Um abraço muitooo apertado :((((

    ResponderEliminar
  23. Sofia,
    Não há dia que nao acompanhe o seu blog.
    É com tristeza, que ao ler o titulo do seu post, nem sei bem explicar, senti que tudo o que viria a ler de seguida seria triste.
    Um texto mt bem escrito, com muito sentimento.
    Lamento, é tudo o que me ocorre dizer-lhe. Lamento não conseguir utilizar outra palavra melhor, se é que as há nestes momentos.
    Um abraço muito apertadinho e cheio de carinho.
    MR<3
    http://sagadaemigracao.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que abraço bom. Muita força para ti também ( posso tratar por tu?).
      Beijinhos

      Eliminar
  24. daqui mando um grande abraço.... as palavras dispensam-se nestes momentos! O sol hoje está lindo e isso é sempre uma boa mensagem...bj

    ResponderEliminar
  25. Um imenso abraço. Perdi o meu pai há 3 anos e a dor continua bem presente. Muita força.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito... Força para a Cristina, também. beijinhos.

      Eliminar
  26. O que vale é que ficamos sempre com coisas boas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu tenho a sorte de ter muitas. Obrigada por passar por aqui...

      Eliminar
  27. Um abraço muito, muito grande. Não há palavras que te possa dar em troca das que, habitualemnte, aqui venho ler, sem comentar. Mas hoje tenho de te deixar um abraço. Porque sei que esse dia chegará também para mim e sei que o temo mais do que tudo. Força, mais um pouco daquela que tanto tens tido. MJ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até nos custa imaginar não é? Um beijo grande e mil vezes obrigada.

      Eliminar
  28. Muita força, Sofia!! Beijinhos!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Irene. Beijinhos grandes

      Eliminar
  29. Um beijinho grande cheio de carinho para ti, querida Sofia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, querida. Beijinhos para ti também.

      Eliminar
  30. Um beijo querida , sinto muito, adoro meus país nem imagino o que estejas a passar.


    ResponderEliminar
  31. Os meus sentimentos.

    ResponderEliminar
  32. Lamento muito a sua perda. Também fiquei sem o meu pai aos 25 anos por isso sei bem o quão difíceis e ao mesmo tempo surreais são estes primeiros tempos. E não é mesmo o fim porque as doces e suaves memórias ficam sempre connosco. Não a conheço mas envio-lhe um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  33. Não há palavras Sofia...
    Já lá vão 12 anos e sinto-o como se tivesse sido ontem. Hoje ao ver-te senti a imensa tristeza que transbordava no teu coração e revivi o que senti o que passei e o que chorei... é uma dor imensa que não se consegue explicar , é uma sensação que o Mundo desabou em cima de nós sem nos consultar se assim poderia ser é uma mistura de sentimentos... sentimentos esses que não se conseguem compreender ...
    Acredita amanhã será um novo dia e terás uma estrelinha protetora a olhar por ti e por toda a tua família todos os dias :)
    Força Sofia

    Sandra Orfão


    ResponderEliminar
  34. Os meus sentimentos e um grande beijinho Sofia!
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  35. Os meus sentimentos, infelizmente compreendo a tua dor ,porque já passei pelo mesmo.
    Muita coragem, o mais difícil são as ( SAUDADES).
    Família Benfiquista

    ResponderEliminar
  36. Sei que não há nada que possa dizer que melhore o que estás a sentir mas quero que saibas que hoje chorei por ti… que todos os meus pensamentos estão contigo e que te mando um daqueles abraços enormes.

    Lembra-te dos momentos bons e pensa que ele partiu feliz com quem amava a seu lado.

    Um beijo enorme minha querida.

    ResponderEliminar
  37. Fiquei com o coração apertado... um beijinho com muito carinho, porque nestas alturas não haverá nada que nos acalme o coração.

    ResponderEliminar
  38. Oh minha querida! Há um ano passei pelo mesmo...é uma dor que não tem fim!
    Muita força!
    Um beijinho com muito carinho.

    ResponderEliminar
  39. Aqueles que amamos NÃO MORREM NUNCA! Vivem para sempre ainda mais juntinho a nós: nos nossos corações. Força Sofia! (embora a leia regularmente, nunca tinha comentado. Hoje, senti necessidade de o fazer, talvez porque com o meu pai tenha acontecido o mesmo: cansou-se de viver e, desistiu).

    ResponderEliminar
  40. Sofia,lamento imenso,perdi os meus num fim de semana há 24 anos!!! e era eu uma jovem,
    esquecer nunca,a falta é sempre imensa,mas!! o tempo ajuda!!! e ficamos a saber que temos alguem que "olha" por nós,mais tarde vai compreender
    a vida é uma passagem.Sei que é uma mulher corajosa

    ResponderEliminar
  41. Força Sofia tu consegues ultrapassar esta fase menos boa da tua vida

    ResponderEliminar
  42. Um abraço apertadinho Sofia. Conheço bem essa dor pois passei por ela recentemente. A dor maior vai passar vais ver, ficam os momentos bons, as recordações... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois...eu li...Um abraço apertado e um dia deste vê se passas pela minha casa na tua bicicleta:)

      Eliminar
  43. Olá Sofia! Não a sigo há muito tempo e também sou nova por estas bandas mas uma coisa eu tenho a certeza. Onde quer que esteja, o seu pai está bem e a olhar por si! Gosto muito da sinceridade com que escreve!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada e bem-vinda à blogosfera:) beijinhos

      Eliminar
  44. Um grande abraço muito muito apertadinho Sofia!
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, linda Paula. beijinhos

      Eliminar
  45. Muita força e coragem neste momento. Lamento muito, Sofia.Força!!

    ResponderEliminar
  46. Um abraço enorme desta que te lê já há bastante tempo mas nunca comentou.
    És uma pessoa linda.
    Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Joana. Continue por aí. beijinhos grandes

      Eliminar
  47. Olá Sofia, sinto imenso pela sua perda e quero apenas reforçar a ideia que os nossos entes queridos partem, mas as recordações boas que temos são eternas e nunca morrem porque nos lembramos de muitas ao longo da vida. Queria só dar-lhe aquele abraço apertado e muita força para esta luta diária.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chegou cá, o seu abraço. Obrigada.

      Eliminar
  48. Meus sentidos pêsames.
    Calculo o que está a sofrer, infelizmente já passei por essa grande perda.
    Ficam as boas recordações, o pior são as SAUDADES.
    Família Benfiquista

    ResponderEliminar
  49. Sofia, foi com imensa tristeza que, tanto eu como o Luís, ficámos quando soubemos do sucedido. Começámos a ser filhos da terra à cerca de 9 anos, posso dizer-te, que as primeiras pessoas que me cativaram com humildade, simpatia, foram os teus pais, verdade! Um dia cheguei ao supermercado e fui atendida pela tua mãe, o teu pai também estava, foram de uma simpatia extrema, de uma humildade ... acima de tudo fizeram-me sentir bem vinda aos Cavalinhos! O Luís adorava falar com o Sr. Manuel, dizia que ele era muito bom conversador, uma boa companhia.
    É verdade Sofia, a nossa vida vai mudando. Compreendo a tua dor, também já perdi duas pessoas que amava muito, já lá vão 14 e 9 anos, a saudade ainda persiste, não há um dia que não me lembre deles.
    Hoje quando tu e a tua mãe entraram no café fiquei sem saber o que vos dizer, tanto eu como o meu amigo David queríamos-vos dar uma palavrinha de conforto, mas eu, sinceramente, parece que bloqueei. Acredito que vos resta o consolo de saber que talvez não se tenha apercebido de que estava a partir, também tenho esse sentimento em relação à minha querida avó, partiu mas não o sentiu, foi serena a sua ida. A tua mensagem fez-me reviver o que senti à uns anos atrás e podes ficar bem ciente que estou a chorar contigo neste momento de tanta tristeza.... Sofia a nossa convivência é muito pouca, mas quero que saibas que sou um ombro amigo.... Muitos beijinhos cheios de força para toda a família. Mila (vizinha das casas novas).

    ResponderEliminar
  50. Sofia, há algum tempo que não vinha aqui, e só agora me apercebi do que aconteceu. Um grande beijinho e muita força...

    ResponderEliminar
  51. Por acaso vim aqui ter...e nem imaginas o que senti quando li as tuas palavras sobre o teu pai. também eu estou a passar momentos difíceis com a minha mãe que se encontra internada nos cuidados continuados...é muito duro vê-la longe de casa, sem as suas coisas, e as pessoas de quem mais gosta mas infelizmente, não posso cuidar dela em casa, pois sou sozinha e tenho de trabalhar. estou todos os dias com ela. abraço-a todos os dias e não me esqueço de lhe dizer que gosto dela. cada dia que passa é mais um...mas é sobretudo menos um. e por vezes é muito difícil lidar com situação. a minha vida em dois anos mudou muito. e hoje sou uma pessoa diferente. um forte abraço. Maria do Carmo

    ResponderEliminar