Aceitar a tristeza...

Magdalena Lubiecka

Não há um ser feliz para sempre. Não se é feliz todos os dias. E por mais que tentemos encarar todos os dias com um sorriso no rosto, nem sempre é assim tão possível.

Hoje, dia das mentiras, soube que o meu tio Fernando, sessenta e dois anos de vida cheia, sorriso traquina, homem positivo e dado às alegrias da vida, partiu. Irmão mais novo do meu pai, junta-se a ele passado pouco mais de três meses. Tão imprevisível e fugaz é a vida...

Queria dedicar-lhe palavras bonitas como ele merece, queria escrever aqui uma homenagem lindíssima para ele, mas não consigo mais do que isto. Há momentos muito tristes e este é um deles: ele adoecer durante umas férias, ficar internado, partir, os meus primos a sofrer por cá e a irem até ao outro lado do mundo para o ir buscar. Gostaria de encontrar palavras mais reconfortantes para dizer aos meus primos, aos frágeis tios que ficam, mas não as encontro. Há momentos em que só sabemos ficar tristes. Avançamos para o nosso dia, trabalhamos, forçamos sorrisos, mas estamos tristes.

Há momentos muito tristes na nossa vida e, às vezes, é preciso aceita-los simplesmente. Para depois prosseguir.





7 comentários :

  1. Os meus sentimentos. O meu avô antes de morrer disse-me "a vida passa a correr" e nunca me esqueci disso

    ResponderEliminar
  2. Lamento muito. Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  3. um beijinho grande e muita força!

    ResponderEliminar
  4. Beijinho muito grande. Força para toda a familia.

    ResponderEliminar
  5. E verdade.
    Por ca foi o meu sogro.
    Foi de ferias e nao voltou com vida...

    ResponderEliminar