Dilema do dia


Desde os dezoito anos que voto e, assim à primeira, parece-me que nunca falhei umas eleições. 
Este ano, vou votar daqui a nada e sinto-me assim meia perdida: afinal, mas em quem é que eu vou votar? Em quem é que eu acredito? Voto em branco? Escrevo umas coisas para divertir o pessoal que está na mesa de votos e que irá contabilizar o meu voto como nulo? Viro-me para os partidos mais pequenos? Voto no mais bonito (também é um critério)?
Não consigo acreditar em nenhum deles. Não consigo ver honestidade pura, nem vontade de ir para a Europa por acreditar em causas. Só consigo ver interesse(s), demagogias baratas e sede de poder.

Estarei a ser demasiado amarga? Talvez, mas foi o que os políticos portugueses me ensinaram.

3 comentários :

  1. Bem, eu já votei!
    Havia (há) muita escolha. Normalmente voto naqueles que me defendem como trabalhadora (pelo menos parece). Enquanto não estiverem no poder, não sei se são melhores ou piores do que os outros, por isso, vou lhes dando o benefício da dúvida...
    Não me apetecia ir, mas pensei naquelas que lutaram (muito antes de mim) para poderem (podermos) ter o direito ao voto, por isso fui e vou sempre!

    ResponderEliminar
  2. Esse critério do mais bonito é bom, mas só hoje, ao ver com olhos de ver o cabeça da lista da CDU, é que me lembrei desse critério, andei distraída durante a campanha! :-) Beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Como te compreendo.
    Este ano não votei por convicção!
    Enquanto os votos brancos e nulos valerem o mesmo que a abstenção (nada!), não irei votar pois não tenho em quem votar!
    Se contassem os brancos, nulos + abstenção, aí teríamos democracia!
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar