Sabedoria aos dez anos


Hora de almoço. Sobrinho também à mesa e eu a querer saber mais sobre a vida dele de estudante. E as frequências, correram bem? E que tal o ambiente na Covilhã? E vais mudar de casa? E vais tirar a carta? E... de repente, um olhar e uma voz baixinho a dizer " Mãe, deixa o rapaz em paz".
Sorri e entendi muito bem o reparo. Miguel, do alto dos seus dez anos acabados de fazer, tinha razão...às vezes sei ser muito chatita ...              
(...)
" E não comes mais um bocadinho?", " Não gostas da salada?", " Não tens fome?"... ouvi-me eu dizer...até que a voz doce me tirou o pio " Mãe, a história do rapaz...".

1 comentário :