Uma família com esperança #14

love

As despedidas são sempre difíceis. Por mais voltas que tentemos dar, não parece haver volta a dar. Dói sempre.
O que tentamos fazer aqui por casa é proteger ao máximo o Gonçalo e o Miguel desses momentos difíceis e decidimos assim que eles não vão levar  o pai, apenas o vão buscar. É que sentimos que sempre que eles vêem lágrimas nos nossos olhos, ficam completamente à toa. 
Não sabemos se é o certo, mas sentimos que é assim que tem de ser...

E pronto. Mais uma etapa (re)começa. Contagem decrescente até ao Natal. Com a mesma certeza de sempre: a distância física não conta...Estamos juntos!

6 comentários :

  1. Deve ser muito complicado, acho que só quem passa pela situação é que sabe o que custa e sabe dar valor à presença..O Natal entretanto está à porta, chega num instante! Bjinho

    ResponderEliminar
  2. Eu sei o que está a sentir, o meu marido também está em Angola a trabalhar e temos duas filhas uma de 6 e outra de 8 e são elas que pedem para não levarem o papá ao aeroporto para não o verem a ir embora. Já me disseram que depois nós nos habituamos mas no meu caso cada partida dói muiiiiiito mais do que a anterior...Força para estas semanas que doem sempre mais e temos que acreditar que para o nosso bem e para o bem dos nossos filhos.Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. E que o Natal chegue depressa! Beijinhos e muita força! Maria

    ResponderEliminar
  4. Olá Sofia,

    Como eu a entendo. E sabe disso. Por aqui também sempre foi utilizada essa "politica" os meus filhos vão buscar o Pai mas nunca o vão levar . É muito doloroso.

    Beijinho e força para mais esta etapa.

    Helena

    ResponderEliminar
  5. Custa de verdade mas vocês vão superar mais esta distância!
    Um beijinho,
    Paula
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar